Domingo, 13 de Junho de 2021
Victor Pereira
Pároco. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

A Desvalorização da Ciência

Nos últimos anos da nossa caminhada histórica, temos assistido a uma batalha entre o niilismo e o fundamentalismo.

-PUB-

E, de alguma forma, um tem sido reação contra o outro. Se por um lado se proclamou nos ambientes académicos e intelectuais que nenhuma verdade pode adquirir o estatuto de absoluta, como defendem os niilistas, não há verdades e ninguém sabe a verdade toda, nem pode chamar a si esse privilégio, os fundamentalistas reagiram a este vazio e tentam impor uma verdade a toda a força, nem que seja pela violência e pelo terror. Não conseguem entender como é que se pode viver no mundo e dar uma direção à vida sem uma verdade. Uma vida sem verdade não é uma vida de verdade. A vida tem de ter segurança, certeza e sentido. 

Tanto o niilismo como o fundamentalismo são caminhos errados e respostas inconsistentes e desadequadas à necessidade de verdade do ser humano e na procura da própria verdade. Passando silenciosamente pelas trincheiras desta luta, com as consequências terríveis que todos conhecemos, a ciência tem feito o seu caminho e vai continuar a fazê-lo, buscando conhecimento sólido e dando sustentação objetiva à vida, pela questionação, pela investigação, pelo estudo, pela experiência e pela comprovação. A ciência também não sabe tudo, mas já sabe muita coisa com certeza e muita fidelidade, e tudo o que tem publicado é rapidamente aceite e, não vai há muito tempo, tudo o que aparecia com o carimbo científico era religiosamente absorvido e adotado. A ciência passou a ser o critério para se negar, afirmar e aceitar verdades. Passou a ser moda abandonar a fé porque esta não encaixa no método e na cultura científica. Sendo assim, não merece crédito. 

Mas qual não é o meu espanto, quando agora vejo muitas verdades científicas a serem desprezadas e a se meter a ciência na gaveta quando não dá jeito ou o capricho humano se lembra levianamente de fazer birra. Está a acontecer assim com a campanha antivacinação, que é muito provavelmente uma tontaria sem qualquer fundamento, e está a acontecer assim com as muitas recomendações que epidemiologistas e infeciologistas propõem até à exaustão, mas às quais muitos não ligam um chavo. É tudo um grande embuste e uma grande manipulação, dizem espíritos exaltados. Sei que estamos em tempos de incerteza e de falsas verdades e falsas notícias. Mas a deusa ciência já deve ter percebido que o poder e a vontade humana querem ter sempre mais força do que a verdade, conforme as suas conveniências.

Mais Lidas | opinião

Eu raspo, tu raspas e eles ganham

(I)mobilidade

O Direito dos Animais

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.