Terça-feira, 19 de Outubro de 2021
Barroso da Fonte
Escritor e Jornalista. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

A profanação da História de Portugal

Quanto mais doutorismo, maior ignorância. Até há uns anos atrás, estudava-se para se saber mais, porque havia a consciência cívica de que todos temos obrigação de acrescentar algo àquilo que já se conhece. A essa obrigação cívica chama-se progresso. Actualmente, prevalece o “Vale tudo”. Reduz-se ao número de anos na carreira académica, promovem-se cursos de […]

-PUB-

Quanto mais doutorismo, maior ignorância.

Até há uns anos atrás, estudava-se para se saber mais, porque havia a consciência cívica de que todos temos obrigação de acrescentar algo àquilo que já se conhece. A essa obrigação cívica chama-se progresso. Actualmente, prevalece o “Vale tudo”. Reduz-se ao número de anos na carreira académica, promovem-se cursos de requalificação apressada, certificam-se, em sábios, verdadeiros analfabetos…é um ver se ter avias…

Por outro lado, é a ganância editorial. Criam-se empresas gráficas à sombra da influência política. E como não há mercado para ocupar essas empresas, quase se aliciam autores e editores que nada percebem da poda. Mas, como a política faz favores a quem é servil, eis que mais uma

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

O povo é quem mais ordena

Ferrovia Boas Notícias

Beneficiou da Moratória?

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.