Domingo, 17 de Outubro de 2021

A realidade / a responsabilidade no Partido Socialista

Depois das eleições presidenciais, ficou claro que a questão à esquerda do PS ficou resolvida. A possibilidade de iniciar uma dinâmica de acção conjunta da esquerda não comunista em Portugal foi derrotada. Nos últimos cinco/seis anos esta possibilidade foi alimentada por Manuel Alegre e foi dividindo num ou noutro momento os socialistas.

-PUB-

Todos os que no PS acreditavam que era possível federar as esquerdas não comunistas (durante a campanha de Manuel Alegre essa ilusão ainda palpitou em muitos espíritos menos avisados), deixaram de acreditar em tal possibilidade após os desastrosos resultados eleitorais do candidato oficial do PS/BE e sobretudo depois da apresentação da moção de censura do BE na Assembleia da República.

Aqueles que no PS e no BE acenaram durante meses com o fantasma que representava a reeleição do Prof. Cavaco Silva para a permanência em funções do actual Governo, um governo da esquerda, actual, que luta pela defesa do modelo social europeu, verificaram que afinal havia outra ameaça – a da irresponsabilidade, a do populismo, a

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.