Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022

Amigos aventuram-se a percorrer a pé a EN2

Quatro amigos, três caminhantes e um apoiante logístico, partiram do ponto zero da Estrada Nacional 2 (EN2), em Chaves, com o objetivo completarem os 738,5 quilómetros do percurso até ao dia 11 de abril, 25 dias depois da sua partida do Norte do país.

-PUB-

Uma das ambições do grupo é “fazer o que nunca foi feito”. “A EN2 já foi percorrida de bicicleta, de mota e de carro, mas nós seremos os primeiros a percorrê-la a pé”, contou Francisco Romeira, de 61 anos, não escondendo que entrou neste desafio por considerar “aliciante desvendar um país cheio de diversidades, quer paisagísticas quer humanas”.

Com 80 quilómetros percorridos e após intercetados pela VTM, o grupo mostrou-se deslumbrado pela riqueza encontrada em Trás-os-Montes, tendo João Silva destacado “as pessoas maravilhosas que temos encontrado no caminho, a forma calorosa como nos têm recebido e o apoio motivacional que tanto significa para nós”. Para completar o charme transmontano, o caminhante, de 60 anos, fez referência ainda às paisagens, considerando-as “lindíssimas e cativantes”.

Depois de tomarem um duche e recarregarem energias no quartel dos bombeiros da Cruz Branca, em Vila Real, o elemento de 68 anos, Orlando Valério, destacou a necessidade de preparação física prévia, já que o desafio é desgastante e considerado de alta intensidade.

“Caminhamos há mais de três anos em grupo e com o aproximar da aventura aumentámos a distância dos treinos, passando de doze para 20 a 30 quilómetros”, contou. “Com três dias decorridos e com 80 quilómetros deixados para trás, não sentimos nenhum efeito do esforço, por isso a preparação está a ter efeitos positivos”, acrescentou o “atleta”.

Para que a cansaço mental não dê sinal de si, os três amigos revelaram a fórmula que usam para se motivarem: “no ponto zero, faltavam-nos 738 quilómetros, no quilómetro 2 faltavam-nos 360 vezes o que já tínhamos feito e atualmente, com 80 quilómetros percorridos só nos faltam nove vezes o que já fizemos”.

E porque a equipa é um todo, e mesmo que não desvende a EN2 a caminhar, Jorge Nunes é um dos elementos-chave do grupo, já que é ele quem presta o apoio e dá todas as condições para que os amigos concluam a sua missão com sucesso.

“Faço parte de uma equipa de ciclismo e estou habituado a dar apoio, por isso, quando me falaram deste desafio eu fiquei ao lado deles para dar o meu contributo”, contou, acrescentando que “o percurso são 738,5 quilómetros, mas os últimos 500 metros também serão feitos por mim, a pé”, contou, alegre por integrar este grupo de aventureiros.

Naturais da região algarvia, os amigos partiram no sábado de Chaves e pretendem chegar a Faro no dia 11 de abril, com uma média diária de caminho percorrido de 30 quilómetros, o que dará um total de 25 dias para que a aventura seja concluída com sucesso.
 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.