Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Apoio domiciliário da Misericórdia chega cada vez a mais idosos

Um número cada vez maior de famílias do concelho de Lamego recorre a um apoio estruturado para manter os idosos ou doentes crónicos em suas casas, procurando desta forma prolongar a dignidade das suas vidas.

-PUB-

Na hora de escolher a instituição que garantirá a realização das tarefas básicas prestadas no conforto do lar, o acompanhamento em atividades socioculturais e de lazer ou as deslocações ao exterior, o Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) da Misericórdia de Lamego é o preferido. Neste momento, este serviço presta cuidados a 42 utentes, o mais idoso já com 97 anos, residentes na cidade de Lamego e na freguesia de Avões.

De manhã bem cedo, a rotina diária repete-se para as funcionárias desta instituição social que se deslocam a casa dos utentes para fazerem a higiene pessoal, a entrega das refeições, a limpeza da casa e o tratamento da roupa.

É o caso de José Cardoso, 89 anos, uma vida dura e longa de trabalho que começou ainda criança. Foi mineiro e carpinteiro, para além de ter ajudado a criar os seus irmãos. Chegado à terceira idade, as dificuldades motoras e a perda de funções cerebrais já não lhe permitiu cuidar mais de si. Quando o seu estado se agravou, as filhas recorreram então ao SAD para assegurar a higiene diária, um serviço cuja qualidade é muito elogiada. Trinta minutos depois, a carrinha da Misericórdia de Lamego segue para casa de Maria Helena Queirós, 82 anos, uma antiga professora primária que há dez começou a apresentar os primeiros sintomas de Alzheimer. No começo, foram pequenos esquecimentos que o seu marido associou ao processo normal de envelhecimento, mas que depois foram-se agravando gradualmente, tornando-a cada vez mais dependente de terceiros. Agora, cabe ao SAD de Lamego ir diariamente, muitas vezes três vezes, assegurar o levantar e o deitar desta utente, para além da higiene pessoal.

A funcionar desde junho de 2013, o SAD da Misericórdia de Lamego está orientado para cuidar todos aqueles que, por algum motivo, não podem assegurar as suas atividades diárias, essenciais para terem uma boa qualidade de vida. São na sua maioria idosos, mas também doentes crónicos, convalescentes e pessoas em situação de dependência física ou psicológica.

Para tal, conta com uma equipa multidisciplinar de profissionais, liderada por uma técnica superior de Serviço Social, que atende às características e às necessidades específicas de cada um. Para além das tarefas normais relacionadas com este tipo de serviço, o SAD, através do serviço de animação e socialização, dinamiza diversas atividades nos domicílios: caminhadas, trabalhos manuais, pinturas, jogos de estimulação cognitiva e da memória, entre outras. Em julho do ano passado, foi criado ainda o serviço do deitar que não existia anteriormente, constituído por duas equipas de trabalho. A prestação destes cuidados abrange os feriados e os fins de semana, das 7h30 às 20 horas.

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.