Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

ASAE doa artigos contrafeitos a oito Misericórdias

Ao todo, foram doados bens no valor comercial de 51 mil euros naquela que, até ao momento, foi a maior doação do ano por parte da ASAE

-PUB-

Tem sido assim nos últimos anos. A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), no âmbito da sua política de responsabilidade social, tem doado artigos contrafeitos a várias instituições de solidariedade do país.

Desta feita, em Macedo de Cavaleiros, teve lugar a maior doação feita, este ano, pela ASAE, com cerca de três mil peças de vestuário e calçado a serem distribuídas por oito Misericórdias da região. 

“Até ao momento, doámos mais de cinco mil peças num total de 21 doações”, explicou Pedro Gaspar, inspetor-geral da ASAE, acrescentando que “esta em Macedo de Cavaleiros representa metade, com a doação de 2800 peças porque agrupámos vários processos para que tal fosse possível”.

As peças entregues foram apreendidas pela ASAE por se tratar de material contrafeito, “mas com qualidade”. “Em vez de serem destruídas, o tribunal decidiu que as peças seriam doadas. Digamos que estas cerimónias mostram que o crime não compensa de modo algum e acabamos por ajudar quem precisa”.

AJUDA IMPORTANTE

Esta doação contemplou as Santas Casas da Misericórdia de Bragança, Vinhais, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Torre de Moncorvo, Valpaços, Chaves e Alijó. Umas são já repetentes, outras, como a de Valpaços, estrearam-se nestas andanças.

“É a primeira vez que recebemos uma doação por parte da ASAE” disse Altamiro Claro. Para o provedor da Santa Casa de Valpaços “todas as doações são úteis se o material for entregue a quem realmente precisa e nós, que conhecemos a realidade e as dificuldades das pessoas, podemos fazer chegar estes artigos a quem realmente necessita”.

Também Alfredo Castanheira Pinto, provedor da Santa Casa de Macedo de Cavaleiros há 47 anos, garante que “esta doação é muito importante e vai ajudar-nos a resolver alguns problemas”.

“Uma das obras das Misericórdias diz que temos de vestir os nus e, nesse sentido, estes artigos vão ajudar-nos a cumprir isso. Vamos distribuir a roupa pelos

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.