Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Eduardo Varandas

Arquiteto. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes
106 Artigo(s) de opinião

As irmãs tocatas e o castelo

Duas irmãs, conhecidas pela peculiar alcunha de Tocatas, muito parecidas, quer fisionomicamente, quer nos jeitos e trejeitos que as caracterizavam, viviam num sítio designado por Castelo, local afastado da aldeia de Guiães, cujo nome não tinha nada que ver com a existência de qualquer fortificação.

A escola secundária de S. Pedro

A Escola Secundária de S. Pedro, herdeira do património e tradições da antiga Escola Industrial e Comercial de Vila Real, foi sujeita a obras de reabilitação e requalificação, concluídas recentemente.

Recordações da Infância

Aproximava-se o inicio do mês de agosto, num ano da minha infância, quando, no cumprimento de uma promessa, fui informado de que iria participar na procissão da romaria, em honra de Nosso Senhor dos Aflitos, que o povo de Guiães se ufana por celebrar, anualmente, e cuja tradição se perde nas brumas da memória. 

Causas mediáticas e a justiça

Atualmente, na agenda mediática, discute-se o racismo e a xenofobia que algumas franjas da sociedade portuguesa tentam explorar, demagogicamente, para fazer crer que Portugal é um país racista e que mais nada de importante se passa neste retângulo à beira mar plantado

Recordações de há 50 anos

Completaram-se, no passado dia 6 do corrente mês, 50 anos que um expressivo grupo de vila-realenses, mais de duas dezenas, foi convocado para frequentar o 1.º Ciclo do CSM, no antigo RI 5, sediado nas Caldas da Rainha, em cumprimento do SMO, que vigorava na altura, para todos os cidadãos que tivessem sido apurados, para todo o serviço militar, na inspeção a que eram obrigados a submeter-se, no ano em que completavam 20 anos de idade.

O padre Borges um sacerdote exemplar

Durante a minha vida de jovem estudante do ensino secundário, tive oportunidade de me cruzar com vários sacerdotes, conhecidos pelas suas qualidades humanas e pedagógicas,...

Recordações em tempo de confinamento

Durante o período de confinamento, resolvi mexer em papelada arquivada há anos e eis que me veio parar às mãos um pequeno manuscrito, de minha...

Tempos de incerteza e angústia

O inesperado aparecimento e posterior disseminação do chamado coronovírus, à escala global, veio confrontar a humanidade com uma realidade inimaginável. Situação que, para muitos de...

A DEMOLIÇÃO DO EDIFÍCIO DA PANREAL

A recente demolição do edificio da panificadora Panreal provocou acaloradas discussões, situação a que não podia ficar indiferente, por razões afetivas, pelo que aqui expresso o meu ponto de vista. 

Três mulheres do povo simples e frontais

Nos meus tempos de juventude habituei-me a observar e, por via disso, a admirar a resiliência e a frontalidade das mulheres da minha aldeia, das quais me permito destacar três delas pelo seu desassombro e coragem cívica.

O Arquivo Histórico Militar e o serviço prestado à comunidade

Ao terem sido solicitados os meus préstimos para executar o projeto do monumento de homenagem aos combatentes do concelho de Beja, que participaram nos conflitos militares em que Portugal esteve envolvido, ao longo do século XX, tive necessidade de consultar o sítio do Arquivo Histórico Militar, para poder compilar os nomes dos naturais daquele concelho alentejano que tombaram na Grande Guerra.

Histórias e episódios da minha aldeia

A eletrificação das freguesias de Guiães e Abaças aconteceu por volta de meados da década de sessenta do século passado, até então, a iluminação dos arruamentos era inexistente e a das habitações fazia-se, maioritariamente, à luz de candeias a petróleo ou azeite, embora também houvesse alguns candeeiros a petróleo, exceto nas tabernas e mercearias em que eram utlizados os chamados gasómetros ou petromaxes, que produziam uma luz esbranquiçada, muito parecida com a luminosidade emitida pelas atuais lâmpadas led, hoje, muito utilizadas pelo seu altissimo desempenho luminotécnico e baixo consumo de energia.