Domingo, 22 de Maio de 2022

Bombeiros recorrem ao SIRESP para assegurar comunicações

Devido a um ciberataque à operadora Vodafone, as comunicações em casos de emergência estão a ser asseguradas pela rede SIRESP como alternativa à prestação de socorro por parte de corporações de bombeiros, como é o caso da de Bragança

De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários de Bragança, Carlos Martins, “as dificuldades nas comunicações começaram ontem à noite e mantêm-se. Pelas 23 horas de segunda-feira foi implementado o Plano de Contingência do INEM. Todas as chamadas de socorro para emergência pré-hospitalar estão a ser feitas através da rede SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal)”.

Isto significa que, “quando as pessoas ligam 112 e a chamada é transferida para o CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes), de seguida, este não consegue mobilizar os meios necessários à emergência através da linha telefónica habitual. Desde ontem, passámos a ser acionados via SIRESP da Proteção Civil”.

O comandante lamenta a situação e diz “não ter recebido qualquer explicação, particular, dirigida à corporação e, provavelmente, não irá chegar. O que sei é aquilo que tem sido noticiado, ou seja, a existência de um ataque informático à empresa Vodafone”.

Face aos constrangimentos nas comunicações, “agravados pelo facto de o número fixo, ainda inoperacional, ser o que está mais presente nas pessoas e aquele que é mais usado, disponibilizámos um número alternativo para o qual devem ligar para certas situações, como transporte de doentes e marcações de consultas”.

Nesses casos, “o contacto deve ser feito pelo número 932 968 693”. Para situações de emergência, “devem continuar a ligar o 112”. O comandante frisou que, até ao momento, “não temos relato de qualquer situação que tenha ficado por responder, acudir ou resolver, o que é muito importante”.

Os Bombeiros Voluntários de Montalegre também ficaram com a central de operações inativa. Em comunicado, a corporação explicou que, “devido a avaria externa da operadora de telecomunicações que trabalha connosco, informamos toda a população que estamos sem telefone fixo. Para qualquer emergência ligue 112 ou, se necessitar de contactar a nossa secretaria, deve ligar para o seguinte telemóvel: 961 606 215”.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) garantiu que as comunicações operacionais estão a funcionar em pleno. As corporações de Bombeiros afetadas pela “têm a rede de comunicações SIRESP e, ou, em alternativa, a Rede Operacional de Bombeiros (ROB), que permite garantir a sustentação e o desenvolvimento das operações de socorro que possam vir a ser necessárias desenvolver nos mais variados cenários, garantindo assim as comunicações”.

A operadora Vodafone foi alvo de um “ciberataque deliberado e malicioso” ao início da noite desta segunda-feira. Em comunicado, a empresa lamentou os transtornos causados aos clientes e informou, esta manhã, que, em conjunto com as autoridades competentes, está a realizar uma investigação “para perceber e ultrapassar a situação”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.