Domingo, 17 de Outubro de 2021

Brasil – Portugal

Noutros tempos – e estamos a pensar nas décadas da 2ª metade do século XX - Portugal tinha para o Brasil uma importância que hoje, certamente, não tem mais. Em primeiro lugar, tanto na composição demográfica como no cenário económico, havia, então, uma presença marcante e visível da “colónia” e dos luso-descendentes, que se reflectia em cheio em diversos sectores da vida nacional. Nalgumas regiões do País, no comércio de varejo ou na construção civil, nos hospitais e nas irmandades ou nas feiras da cidade, nos restaurantes do Rio ou nos seringais da Amazónia, estava sempre em plano saliente o emigrante português, com seus traços físicos e jeito de ser, a subir na vida e a criar a prole, a falar com saudades da “santa terrinha”, a dançar o vira nas “casas regionais” e a celebrar o “Dia de Camões”, no Real Gabinete Português de Leitura.

-PUB-

Em segundo lugar, as relações entre os dois Países, a despeito dos saldos incipientes das transacções correntes, eram enriquecidas por singularidades impulsionadas pela História e por uma consideração que vindo da alma popular passava por fora da cifra do Itamaraty. O Presidente Getúlio Vargas deferia uma pretensão num processo administrativo por “ser português” o requerente; eram assinados com pompa e circunstância o Tratado de Amizade e Consulta e, mais tarde, a Convenção da Igualdade de Direitos e Deveres entre portugueses e brasileiros; as visitas dos Presidentes e dos Ministros de Estado constituíam-se sempre em manifestações de amizade que repercutiam na comunicação social; construíam-se “pontes” sobre o Atlântico e surgiam com frequência gestos de fraternidade que

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.