Quinta-feira, 26 de Maio de 2022

ENTREVISTA

PREMIUM

“Gostaria de treinar a Seleção Nacional”

Chama-se André Augusto Rodrigues Borges, tem 33 anos, nasceu em Alijó, distrito de Vila Real e está perto de ser contratado como técnico principal da equipa Red Star de Belgrado, que ocupa a primeira posição do campeonato da Sérvia. Esta é ainda uma possibilidade, mas decorrem negociações para que em breve se torne uma realidade.

“A curto prazo serão criados 1000 postos de trabalho”

Num ano “intenso” para Vila Real, Rui Santos acredita que o melhor ainda está para vir, com a criação de mil postos de trabalho através de investimentos privados que estão a ser concretizados no terreno e outros que poderão vir a instalar-se no concelho. Sem rodeios, aborda todas as questões, como a fatura da água, o edifício do Parque, os transportes públicos e muitas novidades para 2017, ano em que finalmente Vila Real poderá receber a tão desejada Loja do Cidadão… 

 

“Queremos fazer história no GD Bragança”

Foi na baliza que começou a dar os primeiros toques na bola, mas nunca se conseguiu afirmar com um grande guarda-redes. Foi para a universidade tirar o curso de Educação Física apenas porque este lhe permitia seguir o rumo que desde muito novo quis seguir: ser treinador de futebol.

“Queremos que os nossos eventos se traduzam em mais-valia económica”

De 28 a 31 de janeiro, Macedo de Cavaleiros recebe a festa da caça mais grandiosa do nordeste transmontano, onde são esperados 25 mil visitantes. Duarte Moreno, autarca de Macedo de Cavaleiros, falou das expectativas e do reforço económico que tamanho evento acarreta para o concelho.

PREMIUM

Um projeto de música através das redes sociais

Transmontano de raiz, Pedro Gonçalves esteve em plano de especial destaque no programa televisivo “The Voice Portugal” no ano de 2016. No ano anterior, já se apresentara àquele programa televisivo, mas sem alcançar os objetivos que julgava serem possíveis. Insistiu este ano, para alcançar um resultado algo surpreendente.

PREMIUM

Família investe dois milhões para colocar o Chaves na I Liga

Desde 2011 à frente do Grupo Desportivo de Chaves, Bruno Carvalho assume que o principal objetivo da direção é colocar o clube no patamar mais alto do futebol português. Na época passada esteve muito perto de o conseguir, mas tudo se desmoronou em 30 segundos, com o golo do Tondela em Freamunde. Sem rodeios, o presidente fala do sonho do pai, do investimento realizado e das obras que são necessárias no Estádio Municipal, que não tem condições para receber jogos profissionais…

“Trás-os-Montes deve aproveitar as excelentes condições que tem para a prática do ciclismo”

A paixão pelo ciclismo vive enraizada no coração deste transmontano, nascido em Campeã, Vila Real. Desde muito cedo sonhou ter uma bicicleta, mas só aos 11 anos os pais lhe ofereceram uma. A partir daí começou a destacar-se no Centro Desportivo e Cultural da Campeã. Depois participou numa prova federada em Lordelo, que foi uma espécie de porta aberta para o sucesso, corria o verão de 1984. Quatro anos mais tarde, o jovem promissor Delmino passa a ter um contrato profissional com a equipa da Boavista.

“Alavancar a economia local é a nossa bandeira”

Valpaços tem apostado em grande na promoção dos tesouros que brotam das suas terras, no azeite, no vinho, na castanha, na amêndoa, na maçã… A aposta na qualificação e na valorização dos recursos do setor primário é, por isso, uma das prioridades do atual executivo, que está “apenas no início de um percurso”. Sem perder de vista as questões básicas que garantem a qualidade de vida dos valpacenses, Amílcar Almeida referiu à VTM dois projetos, entre muitos, que estão sobre a mesa: a certificação do folar e a construção de um novo pavilhão contíguo ao multiusos. Defensor de um processo de regionalização que respeite “a identidade de cada território” e traga “competências e poderes” para cada região, o autarca acredita que a organização em Comunidades Intermunicipais (CIM) faz “sobressair as potencialidades de cada Município”, num trabalho conjunto que faz jus à máxima: “juntos somos mais fortes”.

“Trás-os-Montes precisa de uma solução que passa por uma medida mais arrojada: a regionalização”

Professor aposentado, Carlos Gomes revela-se à VTM como cabeça--de-lista do Bloco de Esquerda pelo círculo eleitoral de Vila Real. O partido procura adotar uma orientação ambiciosa na campanha eleitoral que se avizinha e está determinado a apostar na regionalização como principal solução. Entre as suas várias preocupações está o intenso envelhecimento da população e a supressão de serviços importantes para a região

“Estamos empenhados em apoiar e atrair investimentos privados geradores de emprego e riqueza”

Depois de um primeiro ano de mandato “bastante intenso”, o atual executivo ribeirapenense, presidido pelo autarca Rui Vaz Alves, conseguiu, “após um esforço enorme e controlo rigoroso da despesa”, fazer com que as contas da autarquia estejam agora numa “fase de reequilíbrio”. O desafio de fundo passa agora por conseguir as “condições para enraizar as pessoas no concelho”, mas muitos outros projetos estarão prestes a sair do papel, como, por exemplo, a revitalização do centro urbano da vila, a transformação de Friúme numa aldeia camiliana e a criação da Casa Municipal do Produtor.

“Os interesses do território que represento estão muito acima da minha filiação partidária”

Mondim de Basto pode não ter “ouro nem petróleo” mas possui uma riqueza natural única que também serve de alavanca ao desenvolvimento local. O setor do turismo é uma das apostas da autarquia, que ao longo dos últimos seis anos, e sob a liderança de Humberto Cerqueira, se tem debatido pela recuperação financeira, numa batalha que está a vencer… Apesar do cenário difícil e das restrições económicas, a roda não parou e o investimento na qualidade de vida da população tem sido uma realidade, garante o autarca, que espera vir a recandidatar-se e voltar a vencer em 2017

“Tenho grandes amigos em Trás-os-Montes”

Depois do concerto no Casino de Chaves, a 20 de junho, é já este sábado que Tony Carreira regressa a Trás-os-Montes, mais concretamente a Vila Real, seguindo depois para Bragança, para novo concerto, integrado na Festa do Continente. Numa breve conversa com o jornal A Voz de Trás-os-Montes, o cantor que arrasta multidões promete que vai dar o melhor de si para os seus muitos fãs transmontanos que não vão perder a oportunidade de o ver e de o ouvir aqui, tão perto de casa…

“A prova do WTCC vai ser um evento único e com casa cheia”

- Sei que estudou hotelaria e até fez um estágio nos Estados Unidos, mas mais tarde decidiu mudar radicalmente de vida e foi parar...

“Encontrei um grupo que não estava habituado ao rigor, ao profissionalismo e à disciplina, foi um trabalho muito desgastante”

Nuno Pinto, 39 anos, natural de Amarante, foi convidado a assumir o comando técnico do Vila Real a 19 de março, com a difícil missão de alcançar a permanência da equipa no Campeonato Nacional de Seniores. Quando poucos acreditariam que isso seria possível, eis que o jovem veio operar uma autêntica revolução no balneário.

“São cada vez mais aqueles que reconhecem na CDU uma força para retirar Portugal do pântano”

Deixando a certeza de que “o voto na CDU é um voto que não será traído”, o responsável pela Direção da Organização Regional de Vila Real do Partido Comunista Português, falou à VTM sobre as ambições e as expectativas do partido para as próximas Legislativas.

“O maior desafio” é “lutar contra os problemas” que assolam o interior

Antes de mais qual o balanço do primeiro ano de mandato?O balanço do primeiro ano de mandato é positivo. Embora este se tenha enquadrado...

Sabrosa está com “energia” para abraçar os próximos desafios

Classificando o concelho, que nos últimos dez anos liderou, como um território com “alma e coração”, José Marques faz um balanço muito positivo da experiência como autarca. Sublinhando que o município está hoje bem servido no que diz respeito às condições que proporcionam uma boa qualidade de vida, o presidente elege a fixação de pessoas, sobretudo jovens, o desenvolvimento da economia e a criação de emprego como os grandes desafios do futuro próximo. Terra natal de Fernão Magalhães, o concelho tem sabido aproveitar o nome, a vida e os feitos de um dos seus “filhos” mais conhecidos para se projetar a nível mundial, sendo de sublinhar que estão na calha projetos que vão “levar Sabrosa ao mundo e trazer o mundo a Sabrosa”

“O CDS só foi chamado ao Governo em momentos muito complicados”

Líder das estruturas distrital e concelhia do CDS há um ano e meio, Patrique Alves faz um balanço “muito positivo” do seu mandato, mas acredita ser possível fazer sempre “mais e melhor”. Contando atualmente com mais e 1.800 militantes, até ao final do ano o partido deverá ver a sua área de implementação alargada no distrito, criando as duas concelhias que faltam no mapa. Quanto às legislativas de setembro, considera que mais importante que debater o perfil dos candidatos é “discutir ideias” e pensar “no caminho que o país deve trilhar”.

“Este ano espero voltar a revalidar o título”

Joaquim Teixeira é natural de Murça e na época passada foi o melhor no Campeonato Nacional de Montanha, título que já tinha conquistado também em 2011. Sendo um piloto com uma vasta carreira no automobilismo, prefere a montanha onde há um convívio muito saudável entre as pessoas, uma coisa que não existe nos circuitos. “Apesar de todos quererem ganhar, se acontecer uma avaria ou acidente a algum piloto, a equipa da concorrência vai ajudar. Somos todos solidários. Nos circuitos isso não acontece, há mais rivalidade”. Desde a reativação do circuito vila-realense, o piloto ainda não faltou a nenhuma edição, conjuntamente com o Luís Martins, e este ano a expetativa é grande, já que vai haver mais público, melhores condições com a chegada do WTCC a Vila Real.

O Teatro já é uma “rotina” na vida dos transmontanos

Falar das artes do espetáculo na região, é falar no Teatro de Vila Real, um equipamento que há uma década “dá” cultura à população. Naquele espaço já foram apresentadas mais de 700 peças teatrais, entre grupos amadores e profissionais, que contaram com perto de 115 mil pessoas na plateia. Depois de passar por momentos menos fáceis com a crise económica sentida a nível nacional e com a extinção da empresa Culturval, hoje alguns dos objetivos passam pela aposta num maior envolvimento da comunidade, pelo reforçar o Serviço Educativo, pela dinamização de coprodução e, acima de tudo, pela manutenção de “uma programação regular de qualidade”

Mais lidas