Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Centro de diagnóstico para o Alto Tâmega, em Chaves a partir de quarta-feira

O presidente da Câmara de Chaves anunciou hoje a criação de um centro de diagnóstico à covid-19 destinado à recolha de testes feitos ao nível de cuidados de saúde primários no Alto Tâmega e que deverá arrancar na quarta-feira.

-PUB-

A criação de um centro de diagnóstico à covid-19 resulta de uma parceria entre os municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Tâmega e os Laboratórios Germano de Sousa e está previsto arrancar a partir de quarta-feira, explicou à Lusa o autarca de Chaves, no distrito de Vila Real, Nuno Vaz.

O espaço, que vai ser criado no centro cívico de Chaves, prevê a realização de testes à covid-19 sem sair do carro.

“Vai servir para dar resposta a todas as solicitações que venham do Agrupamento dos Centros de Saúde do Alto Tâmega e Barroso e vemos por esta via aumentada a capacidade de resposta ao diagnostico”, assinalou.

E acrescentou: “O centro vai permitir que todas as recolhas de todos os testes que possam ser feitos a nível de cuidados de saúde primários possam ser aqui tratados”.

Nuno Vaz lembrou que a par da credenciação do laboratório do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real, para a realização de diagnósticos à covid-19, também a existência de um centro de diagnóstico no Alto Tâmega era “uma das reivindicações”.

Segundo o autarca, esta solução permite que sejam diagnosticados os testes autorizados via linha de saúde 24 e comparticipados pelo Serviço Nacional de Saúde.

Mas também está aberta à realização de restes por parte das outras entidades que tenham convecção dos subsistemas de saúde e a oportunidade de serem feitos no âmbito privado, sempre com indicação terapêutica e médica, acrescentou.

Nuno Vaz considera que está é uma evolução ao nível hospitalar e de cuidados primários na região e uma nota de equilíbrio territorial.

“Por esta via todo o Alto Tâmega vai ganhar uma capacidade adicional de realização de diagnósticos da covid-19”, realçou.

Considerando ser uma vitória do Alto Tâmega, o autarca lembra que esta é “partilhada com as autoridades de saúde, em particular a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte”.  

“É uma vitória dos seis concelhos, pois é uma decisão por todos, vai ser formalizada no âmbito da CIM Alto Tâmega, e se conseguirmos ao mesmo tempo que se possam realizar testes também em cada um dos centros de saúde dos seis concelhos do Alto Tâmega também isso será muito importante e resultado da cooperação dos seis municípios”, assinalou.

A CIM Alto Tâmega revelou hoje que vai pedir ao Governo que se instalem centros de recolha para diagnóstico à covid-19 nos centros de saúde da região para “facilitar a vida dos cidadãos e profissionais”.

“É importante para facilitar a vida às pessoas e para se evitarem deslocações distantes, porque nesta altura de confinamento e de distanciamento social, quantos menos percursos se fizerem melhor”, explicou o presidente da CIM Alto Tâmega, Orlando Alves.

A entidade junta os municípios de Chaves, Montalegre, Boticas, Valpaços, Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar, no distrito de Vila Real, e reuniu-se hoje através de videoconferência.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera (+26,7%), e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira (+20,4%).

Dos infetados, 354 estão internados, 71 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.