Terça-feira, 11 de Maio de 2021
Joana Moreira da Silva
Médica Veterinária. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

COVID-19 e os animais de companhia

Numa altura tão conturbada e de incerteza sobre o novo coronavírus não vamos deixar que também seja uma ameaça ao bem-estar dos nossos animais e a sua relação com os humanos. 

De acordo com a informação da OMS, não há evidências que os cães e os gatos possam ser infetados e consequentemente transmitir este vírus. 

É normal que já tenha ouvido falar em coronavírus que afetam os animais, no entanto são estirpes que não contagiam nem os humanos nem outras espécies. 

O coronavírus canino ocorre com maior frequência em animais jovens e desenvolve um quadro de gastroenterite que pode levar o animal à morte. 

O coronavírus felino também afeta mais os gatinhos e é responsável pelo desenvolvimento da peritonite infecciosa felina, uma doença progressiva e com elevada taxa de mortalidade. 

O COVID-19 é específico para a nossa espécie, isto é, só os humanos desenvolvem a doença e só estes a transmitem a outros. Ter um animal não é ter um risco crescido, no entanto devemos agir sempre de forma prudente e consciente. 

No caso de um tutor ser positivo a este novo vírus e estiver em isolamento obrigatório e/ou hospitalizado, os passeios do seu animal deverão ficar a cargo de outro elemento da casa ou pedir a alguém próximo para o fazer. Caso não seja possível deverá deixar o animal entregue a amigos ou familiares ou em último caso num hotel de forma a garantir o seu bem-estar. O indivíduo positivo deverá usar máscara sempre que contactar com os seus animais. Para quem está em casa, é permitido passear o seu animal, respeitando as regras já implementadas, como a distância com outras pessoas/animais, lavar as mãos após a interação com o animal, não deixar que este lhe lamba a cara nem tenha acesso à sua cama. É ainda recomendável lavar-lhe as patinhas com água e sabão após as saídas para o exterior.

Se o seu animal precisar de cuidados veterinários não se esqueça primeiro de contactar por via telefónica o seu médico veterinário e seguir todas as suas indicações.

Mais Lidas | opinião

Portugal do Séc. XXI

Com papas e bolos se enganam os tolos

“Pedagógico e oportuno”

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.