Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021
© MR

Desertificação do concelho e aumento dos combustíveis dificultam o negócio

Os feirantes que habitualmente marcam presença na Feira quinzenal de Montalegre alegam que o negócio está “cada vez pior”, devido à “falta de gente” e ao aumento do preço dos combustíveis. Caso o município volte a exigir uma mensalidade, a grande maioria dos feirantes de fora promete não voltar

-PUB-

A Feira dos Santos e dos Produtos Locais voltou a Montalegre. A manhã de quinta-feira, marcada pelo frio e vento forte, custou a arrancar e eram poucos os que se aventuravam a ir até ao campo da feira. À medida que a hora ia avançando, a temperatura ia subindo e atraindo algumas dezenas de barrosões. Porém, se as velas e flores que habitualmente acompanham os crentes às visitas aos cemitérios se iam vendendo bem, já nas bancas de roupa e artesanato a realidade era mais amarga.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.