Sábado, 12 de Junho de 2021

Diretor das Finanças e mulher arguidos em fraude de 2,5 ME

De acordo com a PJ, em causa “estão os crimes de fraude na obtenção de subsídio e fraude fiscal com fundos europeus”, num total de 21 projetos

-PUB-

O diretor distrital de Finanças de Vila Real, Nuno Chaves, a sua mulher, uma contabilista de Chaves, e um cunhado, que é gestor da Associação para o Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT), estão entre os 31 suspeitos de estarem envolvidos num esquema de fraudes na obtenção de subsídios europeus, num montante na ordem dos 2,5 milhões de euros. 

A alegada rede “familiar” foi desmantelada na semana passada pela Polícia Judiciária (PJ), que esclareceu, em conferência de imprensa, que uma mulher, com cerca de 50 anos, contabilista, de Chaves, “está na origem das suspeitas de uma fraude de 2,5 milhões de euros na obtenção de fundos europeus”. 

O diretor da Polícia Judiciária do Porto, Norberto Martins, referiu

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.