Sábado, 19 de Junho de 2021

“É preciso avançar urgentemente com a certificação do barro negro de Bisalhães”

Em breve, o forno comunitário que existe na aldeia vai ser requalificado e também está previsto o início de um curso para ensinar a arte

-PUB-

O apelo é do presidente da junta de freguesia de Mondrões, Félix Touças, que está preocupado com a contrafação que existe no mercado. “É preciso combater a contrafação, pois anda por aí muito barro que nem sequer cá passou e está a ser vendido como sendo de Bisalhães”, lamenta.

O autarca refere que “é importante” as pessoas perceberem o que é o barro preto de Bisalhães, para que “não seja vendido gato por lebre”.

Félix Touças sustenta que “há muita gente a querer valorizar-se à custa do barro preto e dos oleiros de Bisalhães, quando este processo de fabrico é único”. Tudo “é feito de forma artesanal, por isso, mais do que nunca, é preciso avançarmos para a

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.