Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Edifício do Museu do Douro pronto em Junho de 2008

Foi assinado, na segunda-feira, na sede provisória da Fundação do Museu do Douro, o contrato relativo à “Concepção-Construção do edifício da sua sede. Os trabalhos vão arrancar, “a todo o momento” e deverão ficar concluídos até Junho de 2008. Presentes na cerimónia, o Presidente da Fundação, José Sarsfield Cabral, o Presidente da Câmara Municipal de […]

Foi assinado, na segunda-feira, na sede provisória da Fundação do Museu do Douro, o contrato relativo à “Concepção-Construção do edifício da sua sede. Os trabalhos vão arrancar, “a todo o momento” e deverão ficar concluídos até Junho de 2008. Presentes na cerimónia, o Presidente da Fundação, José Sarsfield Cabral, o Presidente da Câmara Municipal de Peso da Régua, Nuno Gonçalves, na qualidade de membro da Fundação, e o representante da empresa João Fernandes Silva (Braga) que venceu o concurso para a obra em causa.

Sarsfield Cabral, em poucas palavras, deu a entender a sua satisfação por aquilo que disse ser “o acto mais importante que à Fundação do Museu do Douro foi presente”. Este responsável aproveitou para elogiar a empresa responsável pela construção.

“Queria sublinhar, neste acto formal, uma grande colaboração entre a Fundação e a empresa de João Fernandes Silva, que foi exemplar, neste processo. Esta disponibilidade é muito importante, porque, no fundo, estamos a trabalhar para termos um Museu exemplar” – disse.

Por sua vez, o Presidente da Câmara Municipal de Peso da Régua, Nuno Gonçalves, também reconheceu que “foi um dia importante para a Fundação”.

“Vamos dar mais um passo decisivo, para a concretização do projecto de concepção e construção da sede do Museu do Douro, uma obra que é fundamental, para a região. Poderá ser o ponto de partida para a criação de um Museu de Território, polinucleado”.

O autarca não esqueceu a importância da estrutura que fica sediada na Régua.

“Obviamente que é uma valorização para a Régua e para toda a dinâmica que vai criar”.

O custo da obra está avaliado em três milhões, quatrocentos e setenta e dois mil novecentos e oitenta e um euros e sessenta e cinco cêntimos, acrescido do IVA.

Os trabalhos deverão ficar concluídos no prazo de dezasseis meses. Ou seja, em Junho de 2008, deverão estar concluídos.

De referir, ainda, que a garantia bancária da empresa foi emitida pelo Banco Português de Investimento.

Esta unidade museológica vai ficar com a sua sede instalada na antiga Casa da Companhia, edifício que foi adquirido à Real Companhia Velha, por 1,7 milhões de euros e que vai dispor de núcleos espalhados pelos vários concelhos da Região Demarcada do Douro (RDD).

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.