Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Em nome da sensualidade

Desculpem-me a insistência, mas volto a falar delas.

-PUB-

Depois da fase exagerada e mediatizada do “feminismo”, com incidência forte na componente sexual, nunca se falou tanto da “condição feminina consciente” como agora. E dos direitos da mulher.

Depois da insultuosa “burka” ostensiva e execravelmente apresentada em passagens de modelos em Lisboa e Porto, de que falei aqui há quinze dias, surgiu agora a notícia de que as mulheres portuguesas querem adotar, de novo, o espartilho. É o regresso das “mulheres-ampulhetas”, das “cinta de vespa”, para adelgaçar a figura, não se percebe bem porquê, provavelmente para agradarem a alguém que não a si próprias, visto que o uso de tal utensílio costuma deixar marcas dolorosas e de cansaço no corpo de quem o usa.

Esta

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

O povo é quem mais ordena

Ferrovia Boas Notícias

Beneficiou da Moratória?

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.