Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Em Vilela do Tãmega, vários assaltos têm danificado os templos religiosos

A população da localidade de Vilela do Tâmega, situada junto à EN2, está revoltada, por causa da onda de assaltos que se tem verificado, nos templos religiosos da aldeia. Os templos religiosos da localidade de Vilela do Tâmega têm vindo a ser alvo de actos de vandalismo e da cobiça de larápios que, desta feita, […]

PUB

A população da localidade de Vilela do Tâmega, situada junto à EN2, está revoltada, por causa da onda de assaltos que se tem verificado, nos templos religiosos da aldeia.

Os templos religiosos da localidade de Vilela do Tâmega têm vindo a ser alvo de actos de vandalismo e da cobiça de larápios que, desta feita, após arrombarem a porta, irromperam pela Capela de Nossa Senhora das Dores, dando prioridade à caixa de esmolas que continha dezenas de Euros.

Os populares souberam do assalto, após o alerta de um morador que habita naquela zona, ao ter reparado nos actos de vandalismo que ali foram praticados.

Previsivelmente, antes deste alerta, o mesmo grupo de larápios já teria estado de “visita” a outro templo da aldeia, desta feita, na igreja matriz de Vilela do Tâmega, mais propriamente na sacristia, a qual foi vandalizada. Mas, aqui, os “amigos do alheio” acabaram por não conseguir dinheiro, e também não levaram imagens religiosas. Por esquecimento ou pressa, os larápios deixaram uma chave de fendas, no local do assalto.

Os templos religiosos da aldeia de Vilela do Tâmega têm sido fustigados pelos larápios que, talvez devido à sua localização, uma vez que esta localidade é contígua à Estrada Nacional, fazem daquele um local de “passagem obrigatória”.

A Igreja Matriz e a Capela de Nossa Senhora das Dores, no núcleo rural da aldeia, bem como outra Capela, situada junto à EN2 (entre Chaves e Vidago), são, frequentemente, objecto de assaltos, pelos meliantes.

 

João Cláudio

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.