Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Empreende Tua lança 30 novos projetos em Trás-os-Montes

De cerca de uma centena de empreendedores que participaram no programa, 40 chegaram ao final e, desses, 11 mereceram um prémio. A EDP calcula que na sequência da criação das 30 empresas apoiadas pelo programa de empreendedorismos, sejam criados 80 postos de trabalho e investidos na região do Tua cerca de 3,5 milhões de euros

-PUB-

Mais de 50 horas de formação, o apoio no desenvolvimento dos planos de negócios, a disponibilização de um mentor e o acompanhamento durante os primeiros dois anos de atividade fazem parte dos pressupostos do Programa de Empreendedorismo do Vale do Tua que culminou, no dia 29, com o reconhecimento de 11 dos 30 projetos dinamizados pelos empreendedores participantes.

Da responsabilidade da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua, com o apoio da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e o patrocínio da EDP, o programa tem como objetivo apostar “na formação e capacitação” dos empresários e, consequentemente, no “desenvolvimento de recursos, humanos, patrimoniais e naturais dos cinco concelhos abrangidos pela barragem de Foz Tua”, nomeadamente Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor.

“O empreendedorismo é uma das linhas que nós privilegiamos dentro da nossa estratégia na implementação dos nossos projetos hidroelétricos promovendo ao mesmo tempo o desenvolvimento das regiões”, defendeu António Ferreira da Costa, administrador da EDP Produção.

Já na sua segunda edição, o Programa de Empreendedorismo do Tua envolveu 40 empreendedores que lideram um total de 30 projetos empresariais com potencial para criar mais de 80 postos de trabalho e investir 3,5 milhões de euros.

O administrador da EDP refere que se trata de “números muito interessantes para a região, em termos de contributo para a criação de emprego”, e mostrou-se confiante no sucesso das empresas que participaram no projeto, tendo em conta e experiência de anos anteriores não só no Tua, mas também na zona do Sabor, onde o programa já vai na sua quarta edição.

De recordar que este ano, na sua 2ª edição, a gestão do Programa EDP Empreendedor Sustentável foi assumido pela Agência de Desenvolvimento Regional do Tua, no entanto foi inspirado numa iniciativa idêntica, voluntária, iniciada pela EDP nos concelhos do Baixo Sabor, que já deu origem a dezenas de novos negócios.

“Foram criadas e entraram em laboração 54 empresas, dessas 53 mantêm-se a funcionar, o que representa uma taxa de sucesso muito acima do que é normal em programas de empreendedorismo”, defendeu António Ferreira da Costa.

Relativamente ao Prémio Empreende Tua 2014, que deu um total de 30 mil euros a 11 das empresas que participaram no programa, o mesmo responsável explicou que teve como objetivo enaltecer a mais-valia das mesmas “em termos da criação de postos de trabalho, potencial de desenvolvimento da região e sustentabilidade do negócio”.

António Branco, presidente da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua e da Câmara Municipal de Mirandela, concorda que, mais importante que o prémio, foi todo o percurso formativo a que tiveram acesso os 40 empreendedores. “O grande valor desse projeto é a capacitação das várias empresas, que esperamos que venham a ser sólidas e sustentáveis na região”, defendeu.

O autarca referiu ainda que, além do importante aspeto da criação de emprego, num total 80 postos de trabalho, as empresas impulsionadas pelo programa tem uma vertente muito forte de dinamização da economia local. “Os projetos são essencialmente no setor da promoção turística e desenvolvimento e valorização de produtos”, explicou.

De sublinhar que, a formação garantida pelo Programa abrangeu cerca de uma centena de pessoas, 40 das quais chegaram à fase final. Seguir-se-á a fase de constituição da empresa e de angariação de fontes de financiamento, designadamente fundos comunitários.

 

Empreendedores tiveram acesso

a 52 horas de formação

 

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) foi a responsável pela dinamização de um plano de formação aos empresários que participaram no Programa de Empreendedorismo do Vale do Tua, disponibilizando uma equipa de cerca de dez professores que garantiram 52 horas de formação.

As ações de formação, num total de dez módulos, foram realizadas nos cinco municípios que fazem parte do Vale do Tua, e foram pensadas de forma a “dar competências de gestão aos empreendedores”.

João Calejo, da UTAD, explicou que o Programa, além da parte formativa, tem outras vertentes, nomeadamente “a atribuição, a cada um dos empreendedores, de um mentor”, mais exatamente um investigador da universidade que vai acompanhar os empreendedores durante a vida do seu projeto nos próximos dois anos, facilitando contactos e identificando formas de resolver determinados problemas junto de instituições específicas.

“Isso de ser empreendedor é um processo solitário e como tudo na vida há altos e baixos, por isso, se tivermos alguém que esporadicamente nos dá uma força, é importante”, sublinhou ainda João Calejo, referindo outro papel do mentor.

No âmbito do programa, a UTAD promoveu ainda o encontro e partilha de experiências entre os empreendedores envolvidos no programa, uma ação que pretendeu potenciar parcerias entre eles.

Quando confrontados com a fase de constituição da empresa e de angariação de fontes de financiamento, designadamente fundos comunitários, os empreendedores “tiveram ainda uma técnica no terreno a assessorá-los para finalizar esse processo”.

Sobre o prémio, João Calejo considera que não se trata de resolver o problema financeiro das empresas mas sim de garantir “uma pequena faísca que vai ajudar os projetos a dar o passo seguinte”.

 

Nova edição do programa EDP Solidária Barragens lançada em outubro

 

A par com o Programa de Empreendedorismo levado a cabo nas regiões do Vale do Tua e do Sabor, a empresa financia ainda outro projeto, o EDP Solidária Barragens, que já vai na sua sexta edição e que este ano tem o período de apresentação de candidaturas entre 20 de outubro e 7 de novembro.

As entidades que pretendam candidatar-se podem contar este ano com o apoio pro bono da Universidade de Trás-os-Montes (UTAD) e do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Equipas destas duas instituições académicas estarão disponíveis para ajudar os candidatos a desenharem ou a estruturarem os seus projetos sociais, bem como a submeterem formalmente a sua candidatura.

Podem candidatar-se ao Programa EDP Solidária Barragens todas as entidades legalmente constituídas e devidamente registadas (IPSS, câmaras municipais, juntas de freguesia, escolas, ONG, empresas, etc.) com projetos de cariz social sem fins lucrativos a desenvolver nos municípios envolventes à construção e reforços de potência dos aproveitamentos hidroelétricos de Alfândega da Fé, Alijó, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela, Mogadouro, Murça, Torre de Moncorvo, Vila Flor, Amarante, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Ribeira de Pena, Mondim de Basto, Sever do Vouga, Oliveira de Frades, São Pedro do Sul, Vale de Cambra e Vieira do Minho.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.