Domingo, 1 de Agosto de 2021

Extensões de saúde estão a reabrir paulatinamente

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte referiu que as extensões de saúde, encerradas na região por causa da covid-19, estão a reabrir “paulatinamente” e de acordo com a situação epidemiológica local e a afluência dos utentes.

-PUB-

Várias extensões de saúde fecharam em março na região Norte por causa da pandemia de covid-19 e, nas últimas semanas, populações e autarcas locais têm-se mostrado preocupados devido ao envelhecimento das habitantes nas aldeias e vilas afetadas, às distâncias a percorrer até às sedes de concelho e à falta de transportes públicos.

Também preocupados com a situação, os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Vila Real reuniram-se hoje com o presidente da Câmara de Valpaços e com a diretora do Agrupamento de Centro de Saúde (ACES) do Alto Tâmega e Barroso e, no final do encontro, a parlamentar Cláudia Bento disse terem sido informados de que a atividade assistencial tem vindo a ser retomada.

Por exemplo, segundo a deputada, as extensões de saúde de Carrazedo de Montenegro e de Vilarandelo, no concelho de Valpaços, estarão “já com alguma atividade, não no pleno, mas prevê-se que seja aumentada progressivamente”.

Contactada pela Lusa, a ARS Norte confirmou que as extensões de saúde da região estão a reabrir “paulatinamente” e desde que as condições assim o permitam, quer epidemiológicas e de segurança para profissionais e utentes e a afluência o justifique.

Depois da reunião na câmara de Valpaços, Cláudia Bento apontou outras preocupações que estão em cima da mesa como “a diminuição da capacidade de resposta em termos de saúde” durante o verão, devido às férias dos médicos e ao aumento previsto da população com o regresso dos emigrantes e a vinda de muitas pessoas do Litoral para o Interior.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.