Sábado, 19 de Junho de 2021

Falta de sensibilização dos produtores preocupa investigadores

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) reuniu, de segunda a quarta-feira, vários especialistas europeus em alterações climáticas e viticultura, preocupados em debater e encontrar soluções para dinamizar o seu impacto nas vinhas.

-PUB-

À VTM, João Santos, coordenador do projeto Clim4Vitis, um projeto da UTAD que tem como objetivo consolidar parcerias internacionais em torno desta temática, deu conta de que a região do Douro superior tem sido uma das mais afetadas pelo aumento exponencial da temperatura, fazendo com que hajam graves consequências quer na qualidade dos vinhos, quer na quantidade da sua produção. 

“As alterações climáticas, no que diz respeito à viticultura, notam-se um pouco por todo o lado do Douro, mas sobretudo na parte superior em que o nível de secura, bem como o stress hídrico e térmico é mais elevado”, apontou, referindo que há zonas como o baixo Corgo que estão “a sofrer menos impacto”. 

Apesar da urgência

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.