Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Fogo queimou 600 hectares de mato e pinhal nos dois concelhos

O fogo que deflagrou na tarde do dia 24 em Ribalonga, no concelho de Alijó, deixou cerca de 600 hectares de área ardida, entre mato, pinhal e terrenos agrícolas.

-PUB-

Mas, além dos prejuízos, o maior incêndio deste ano no distrito chegou a colocar em perigo várias habitações, nas localidades de Pópulo, Casal de Cunho e Casas da Estrada, onde os poucos moradores sentiram medo com a aproximação das chamas, como nos relatou Florinda Ribeiro, de 65 anos, moradora em Casas da Estrada, no concelho de Alijó. “Estava a dormir e telefonaram-me a dizer que andava aqui o incêndio. Tive muito medo porque as labaredas estiveram muito perto da minha casa. Tive de ir chamar os bombeiros para virem apagar o fogo”, conta à VTM, adiantando que felizmente não teve prejuízos. “Foi tudo muito rápido e espalhou-se por todo o lado, chegou mesmo a Murça”.

Morador

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.