Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Granizo “destrói” vinhas em Castedo

O verão chegou com chuva e trovoada. Na quarta-feira à tarde, em Castedo, o granizo provocou estragos em algumas vinhas e hortas.

-PUB-

Manuel Lopes vive em Castedo, no concelho de Alijó. Com cerca de quatro hectares de vinha, viu a produção deste ano arruinada em apenas 15 minutos.

“Na quarta-feira à tarde caiu uma tromba de água muito grande. Nunca vi tanta água e tanta pedra aqui. Em coisa de um quarto de hora fiquei com a produção deste ano destruída”, conta à VTM, enquanto vai mostrando o que o granizo fez nas vinhas.

As uvas “estão esmagadas” e “não há volta a dar. A produção deste ano foi à vida”, refere, acrescentando que “o trabalho de um ano perdeu-se em questão de minutos”.

Manuel Lopes tem seguro, “paguei em maio 1680 euros”, mas “não adianta de nada, porque demoram a vir e não pagam sequer o valor do seguro”, lamenta.

“Fui aos serviços regionais de agricultura e aquilo que me disseram é que não sabiam de nada porque não tinha saído na comunicação social. Eu levei os cachos para verem, mas foi a resposta que tive”, refere, adianto que “não quero que me deem nada, só quero chamar a atenção para o facto de a agricultura estar a passar por grandes dificuldades. Sem apoios, não conseguem ninguém para trabalhar na agricultura”.

Além da vinha, também a horta de Manuel Lopes sofreu com o granizo, com as couves a ficarem marcadas com buracos. Quanto ao prejuízo, “ronda os milhares de euros, até chorei quando vi isto”.

“Costumo retirar daqui uns três mil quilos, sendo que cada pipa leva 750 quilos e vende-se a mais ou menos mil euros. É fazer as contas”, conclui.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.