Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Instalações desportivas equipadas com desfibrilhadores automáticos

O Pavilhão Gimnodesportivo do Inatel e o Campo Desportivo da Reginorde já estão equipados com Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE).

-PUB-

O objetivo passa por assegurar que estas importantes infraestruturas no desenvolvimento desportivo atual façam parte da rede de DAE, após a implementação de um primeiro dipositivo na Piscina Municipal.

O município passa a contar com a implementação de um Programa DAE alargado a três infraestruturas e com um aumento de seis para 24 operacionais formados para utilizar este sistema.

Os DAEs são dispositivos eletrónicos portáteis que, em situações de paragem cardiorrespiratória, analisam o ritmo cardíaco e nas situações indicadas aplicam um choque elétrico com o intuito de se retomar um ciclo cardíaco normal e assim evitar a morte da vítima.

A paragem cardiorrespiratória de origem cardíaca é a principal causa de mortalidade nos países desenvolvidos. Em Portuga, estima-se que ocorram 10.000 casos todos os anos acontecendo quase sempre de forma súbita, inesperada e fora do meio hospitalar. Na grande maioria dos casos, o único tratamento eficaz é a desfibrilhação elétrica (choque) e o fator mais importante para o sucesso da intervenção é o tempo que decorre entre o colapso da vítima e o início de manobras de Suporte Básico de Vida e a utilização de um desfibrilhador.

Estudos demonstram que em Portugal a taxa de sobrevivência de uma vítima de paragem cardiorrespiratória presenciada é inferior a 3%. Este valor compara com uma taxa de sobrevivência de 74% em locais com Programas DAE.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.