Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Lar de Argozelo regista segunda morte

O número de mortos vítimas da infeção provocada pelo SARS-CoV-2 no Lar de Argozelo, no concelho de Vimioso, distrito de Bragança, subiu para dois, após uma mulher de 89 anos ter falecido esta madrugada, foi hoje anunciado.

-PUB-

"Temos a lamentar mais uma morte. Trata-se de uma mulher de 89 anos que estava internada no Hospital de Bragança e que tinha outras patologias associadas, e que faleceu durante a noite", concretizou à Lusa António Oliveira, membro da direção daquela instituição do distrito de Bragança.

A primeira morte associada à covid-19 foi registada na terça-feira, tratando-se de uma mulher de 84 anos.

Segundo António Oliveira, a Saúde Publica está, esta manhã, a testar novamente toda da comunidade do Lar do Centro Social Nossa Senhora das Dores, em Argozelo, composta por 37 pessoas.

"Atualmente, há a registar 14 utentes positivos”, disse o responsável, acrescentando existirem cincos colaborares infetados, o que totaliza 19 casos positivos para o novo coronavírus, contabilizou o responsável.

Segundo António Oliveira, os utentes e funcionários que testaram positivo para o novo coronavírus estão separados dos restantes, em pisos diferentes do Lar.

"As pessoas infetadas estão, para já, estáveis", revelou.

O Lar já foi sujeito a um processo de desinfeção levado a cabo pela Proteção Civil Municipal, e o mesmo vai continuar nas próximas horas.

O primeiro caso detetado no Lar do Centro Social Nossa Senhora das Dores, em Argozelo, aconteceu há uma semana.

Segundo o último boletim epidemiológico emitido na quinta-feira pela Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste, a que a Lusa teve acesso, o concelho de Vimioso registava 88 casos ativos de covid-19.

De acordo com o mesmo documento, no distrito de Bragança, que é composto por 12 concelhos, há 645 pessoas com a doença ativa provocada pelo SARS-CoV-2 e o registo de 75 mortes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,5 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 5.278 em Portugal.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.