Domingo, 19 de Setembro de 2021
©Mariana Ribeiro

Lar “fechou as portas” ao vírus

No Centro Social e Paroquial de Vilar de Perdizes travou-se uma verdadeira guerra. Um ano e meio após a elaboração do plano de contingência em resposta à Covid-19, olha-se para trás com o sentimento de dever cumprido

-PUB-

Sem qualquer caso positivo entre os utentes do Lar S. Miguel, o Centro Social e Paroquial (CSP) de Vilar de Perdizes é caso raro no país. O inimigo, invisível, nunca deu tréguas. Oferecia resistência, impunha reforços, resiliência e, sobretudo, trabalho de equipa. Ora em maré alta, ora em maré baixa, todos remavam em prol da segurança dos utentes.

As histórias e vitórias deste (quase) ano e meio de pandemia são, agora, relembradas de lágrima no olho. Nos entretantos, a equipa cresceu, as instalações foram ampliadas e a “sorte” continua a dar muito trabalho.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.