Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021

MACNA recebe uma das “maiores pintoras vivas do mundo”

“O Grito da Imaginação” de Paula Rego está patente até 18 de outubro, numa iniciativa realizada no âmbito da cooperação entre o município e a Fundação Serralves

-PUB-

A exposição tem como ponto de partida o núcleo de obras de Paula Rego na Coleção Serralves, realizadas entre 1975 e 2004, e que são representativas de várias fases de produção da artista que definiu um novo paradigma na pintura portuguesa contemporânea. 

São 20 obras através das quais os visitantes poderão fazer uma viagem pelo trabalho de uma das “maiores pintoras vivas do mundo”, onde evidencia o papel da mulher na sociedade contemporânea, questiona o quotidiano e, acima de tudo, revela universos onde a surpresa e o espanto se ancoram nos mais básicos e fundamentais anseios do ser humano. “Paula Rego é uma artista singular e através das suas obras, podemos ver que há uma vontade forte de comunicar a vários níveis”, sublinhou Marta Almeida, a comissária da exposição, acrescentando que as obras da pintora sempre tiveram “uma conotação política, social e envolvem a sua vivência, desde a infância”. 

Esta exposição chega ao Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso (MACNA) através de um protocolo assinado em 2019 entre a câmara municipal de Chaves e a Fundação Serralves. “Isto permite que a população desta região, e até mesmo os galegos, possam ter oportunidade de usufruir de obras a que, de outra forma, dificilmente teriam

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.