Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Mau tempo comprometeu ano agrícola

Vinhas, olivais, castanheiros e outras produções agrícolas ficaram destruídas depois da violenta queda de granizo que se fez sentir, há uma semana, em algumas freguesias de Valpaços 

-PUB-

“Aconteceu uma desgraça”, começou por dizer Dinis Fontoura, agricultor, que viu, no final da tarde da passada quarta feira, e numa questão de minutos, todas as suas produções agrícolas serem destruídas pela intensa queda de granizo. “Uma pessoa trabalha o ano todo para, em cinco minutos, ver tudo destruído”. 

Dos dois hectares e meio de vinha que tem, este agricultor diz que “não se vai aproveitar nada” e referiu que “nem este ano, nem no próximo” vai haver produção. “Não tem salvação nenhuma”. E pelo mesmo caminho vai a produção de azeitona. “Já havia pouca, metade agora está no chão e a outra metade vai secar”, disse Dinis Fontoura com o desalento na voz acrescentando que “a vida de agricultor é mesmo assim”. 

Mais à frente, em Vale de Espinho, também Abel Moutinho viu a queda de granizo, “do tamanho de ovos de aves”, como uma “catástrofe” para as suas culturas. Abel Moutinho, reformado da RTP, explicou à VTM que regressou à terra natal para investir na agricultura, porque considera que “as aldeias não devem morrer” e agora que estava preparado para colher “frutos” das terras que cultivou, a natureza pregou-lhe esta partida. “A produção foi 100% destruída e os prejuízos são totais”. 

No dia a seguir ao mau tempo ter assolado o concelho, o presidente da câmara municipal de Valpaços, acompanhado pelo presidente da junta de freguesia de Argeriz, fez uma visita aos locais mais afetados para avaliar os estragos e os prejuízos que a queda de granizo causou aos agricultores a quem deixou uma palavra de solidariedade, garantindo que já fez uma intervenção junto da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN). “Estamos a desenvolver um esforço junto da DRAPN no sentido de fazer com que os nossos agricultores continuem a acreditar que este território tem que continuar a

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.