Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Memorial evoca vida e obra do Padre José Moreira

A tarde do último Domingo vai ficar gravada na memória do povo da aldeia de Fortunho e das muitas pessoas e personalidades religiosas que marcaram presença na inauguração do Memorial ao Padre José Afonso Moreira. O acto teve a dignidade que a vida e obra missionária do “Servo de Deus”, assim o definiu o Arcebispo […]

A tarde do último Domingo vai ficar gravada na memória do povo da aldeia de Fortunho e das muitas pessoas e personalidades religiosas que marcaram presença na inauguração do Memorial ao Padre José Afonso Moreira.

O acto teve a dignidade que a vida e obra missionária do “Servo de Deus”, assim o definiu o Arcebispo de Huambo, D. José de Queiroz Alves. Na homilia, participaram muitas individualidades religiosas, nomeadamente o Bispo de Vila Real, D. Joaquim Gonçalves (que encerrou a cerimónia); o Bispo de Bragança, D. António Montes Moreira que é também natural de Fortunho; o Padre Provincial, José Manuel Sabença; (vindo de Angola) e o Representante Superior Geral da Congregação do Espírito Santo, Padre Eduardo Miranda (vindo de Roma).

Armando Moreira, irmão do padre José Afonso Moreira, fez o auto de doação do memorial, construído em terreno da propriedade pessoal da família Moreira e que, por protocolo ali assinado, passou para a posse da Junta de Freguesia. Por sua vez, o Presidente da Junta de S. Tomé do Castelo, Alcino Coutinho, que o aceitou, em nome da população, comprometeu-se a mantê-lo tratado. O Arcebispo de Huambo enalteceu o papel evangelizador e missionário do Padre Moreira, tecendo rasgados elogios à sua obra. Na mesma calha, esteve D. Joaquim Gonçalves, através de um discurso carregado de gratidão. Usaram ainda da palavra, o Governador Civil António Martinho, e o Presidente da Câmara Municipal de Vila Real, Manuel Martins.

O memorial agora inaugurado é um magnífico trabalho, constituído por quinze painéis em baixo relevo que retratam, simbolicamente, o percurso do Padre Afonso Moreira, até à sua morte. Fazem parte do conjunto uma tília e um banco acolhedor. O mural teve a participação da pintora e desenhadora Gracinda Marques que, ao conceber este memorial, pretendeu “imortalizar a vida, a obra e a morte de um ser humano excepcional”. António Belém Lima foi o arquitecto responsável por esta obra de arte que o povo de Fortunho não se esquecerá de preservar.

Recorde-se que o Padre José Afonso Moreira foi assassinado, na manhã de 9 de Fevereiro de 2006, no Bailundo, em Angola.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.