Terça-feira, 15 de Junho de 2021

Município apoia combate à vespa da galha do castanheiro

O município, em parceria com a RefCast, anunciou que retomou as largadas do parasitóide que combate a vespa das galhas do castanheiro, uma das pragas que ameaça a produção de castanha no concelho.

-PUB-

Em comunicado, a autarquia explica que, nas últimas semanas, “foram efetuadas cinco largadas na parte mais baixa do concelho, onde o desenvolvimento fisiológico da planta se encontra favorável à aceitação da vespa, sendo que se prevêm novas largadas entre os dias 17 e 22 de maio, nomeadamente nas Fraldas do Marão”.

A vespa das galhas do castanheiro ataca as árvores e induz a formação de gomos nas galhas e folhas do castanheiro, provocando a redução do crescimento dos ramos e a frutificação, podendo assim diminuir drasticamente a produção e a qualidade da castanha, além de levar ao declínio e morte dos castanheiros.

O controlo da vespa das galhas do castanheiro tem apenas a luta biológica como modo de combate autorizado, sendo realizada exclusivamente através da introdução de um inseto parasitóide específico, o ‘Torymus sinensis’. Cada largada é composta por 120 fêmeas e 70 machos, aplicada num raio de distância de dois quilómetros entre cada largada.

É de realçar que a venda no mercado não é livre, pelo que se tem de combinar a aquisição de largadas de acordo com a área abrangida pelas largadas dos anos anteriores e com a área destinada para o atual ano. 

Segundo a autarquia, ao longo dos últimos anos, os resultados das intervenções “têm sido muito favoráveis e com resultados significativamente visíveis na diminuição desta praga, sendo objetivo deste município manter e intensificar o respetivo combate de forma controlada e consistente para assim ajudar os produtores de castanha a protegerem os seus castanheiros”.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.