Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
© MR

Município assinalou Dia Internacional da Cidade Educadora

Sob a temática “A Cidade Educadora não deixa ninguém para trás”, a autarquia flaviense associou-se às comemorações do Dia Internacional da Cidade Educadora, hoje celebrado no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso (MACNA)

-PUB-

Integrado na Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras, através da equipa técnica do projeto “Parentalidade positiva”, o município de Chaves assinalou o Dia Internacional da Cidade Educadora com um programa diversificado que alertou para a importância da educação enquanto propósito conjunto que a todos convoca.

O programa teve início no auditório do MACNA com a interpretação do Hino das Cidades Educadoras pela Cinquentuna, a tuna da Universidade Sénior Rotary de Chaves. Seguiu-se a Leitura da Declaração do Dia Internacional da Cidade Educadora e a visualização de um vídeo que deu a conhecer os vários feitos nas mais diversas localidades do país e do mundo.

Na zona de exposições, os vários alunos dos diferentes Agrupamentos de Escolas do concelho e da Escola Profissional de Chaves tiveram a oportunidade de colocar questões às entidades convidadas, também elas agentes educadores com um papel determinante na vida da cidade.

Francisco Melo, vice-presidente do município de Chaves, destacou que “a educação e a formação são a única garantia de conseguirmos desenvolver as nossas potencialidades, de sermos felizes e de obtermos condições de vida e de sobrevivência. É este o esforço que as cidades educadoras querem fazer lembrar, não deixando ninguém para trás”.

O programa incluiu, ainda, uma marcha que percorreu várias artérias da cidade flaviense.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.