Segunda-feira, 29 de Novembro de 2021
Adérito Silveira
Maestro do Coral da Cidade de Vila Real. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Natal em Trás-os-Montes

Os natais de outrora trazem-nos imagens poéticas que apelam ao sentido do maravilhoso, pela beleza das histórias contadas às lareiras. Nelas, existiam fantasias que alimentavam a beleza do amor que permanece ainda hoje, eterno em recordações e saudade.

-PUB-

Em tempos, não havia telemóveis e as pessoas falavam e respeitavam-se. Olhavam o mundo de forma solidária e parecia até que o pecado não existia…. O Natal sentia-se já muito antes de dezembro… 

Em Trás-os-Montes o Natal era a festa dos bolos e dos presentes no sapatinho… Depois da ceia da consoada, as lareiras eram ornamentadas com saquitos de fraco tecido em que neles havia pinhões ou amêndoas e confeitos que nas suas bonitas cores criavam encantamento nas crianças quando da abertura dos enigmáticos e rústicos guardadores de ilusões.

As prendas tinham uma simbologia de fé e amor ao Nascimento de Deus Menino. E no frio agreste, as famílias juntavam-se à lareira, alegres no convívio,

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.