Márcia Fernandes

CDU aposta em João Paulo Correia para a Câmara de Vila Real

O professor de matemática, João Figueiredo, encabeça a lista do partido à assembleia municipal, numa candidatura que tem como prioridade as pessoas.


Num dia muito simbólico para o país, o 25 de Abril, a Coligação Democrática Unitária (CDU) apresentou João Paulo Correia, de 58 anos, como candidato à câmara de Vila Real e João Figueiredo à assembleia municipal.

Um dos objetivos desta candidatura passa por valorizar as pessoas, tendo como uma das grandes prioridades “estancar a sangria populacional”, que continua a verificar-se no concelho. “Vejo que os jovens continuam a sair de Vila Real, porque aqui não conseguem arranjar trabalho. Tenho um exemplo em casa, com o meu filho, que é formado em Artes e tem de ir para o Porto para conseguir arranjar emprego na sua área de formação”. 

Apesar de ter nascido em Lisboa, o candidato revela que já se sente transmontano, uma vez que casou com uma vila-realense e já mora aqui há muito tempo. Promete fazer uma campanha pela positiva, ouvindo as pessoas, onde vai privilegiar o “contacto direto, o apelo à reflexão e a uma escolha esclarecida”.

Classificando esta candidatura como sendo baseada no trabalho, na honestidade e na competência, o cabeça-de-lista à autarquia refere que vai trabalhar em defesa dos serviços públicos, em que os vila-realenses devem ser os “verdadeiros provedores da autarquia”. “Contamos com a participação de todos para discutir os grandes projetos da autarquia. Defender e valorizar o poder local é para nós inseparável da criação de condições para dar resposta aos problemas das populações, para contribuir para o progresso e desenvolvimento de Vila Real e para garantir melhores condições de vida a todos os vila-realenses”.    

João Paulo Correia revela que neste momento existe um “grande desânimo, apatia e até frustração” junto dos trabalhadores do município. Por isso, esta candidatura promete ter “um olhar muito particular sobre os seus reais problemas”. “Por exemplo, o caso dos estagiários, se realmente fazem falta, é necessário integrá-los nos quadros da autarquia e em outros serviços públicos”. 

Pela primeira vez candidato à câmara da capital de distrito, João Paulo Correia decidiu abraçar este desafio lançado pela CDU em prol do desenvolvimento do concelho, da promoção do progresso e do bem-estar, apelando aos vila-realenses para erguerem a sua voz e manifestarem a sua oposição aos projetos de liquidação do poder local democrático, de mutilação de princípios constitucionais e de empobrecimento da vida e do regime democrático. 

Nas autárquicas de 2013, a CDU conquistou 2,39 por cento do eleitorado, sendo o quarto partido mais votado. Em 2017, o objetivo passa por “aumentar a votação”.

Comentários