MF

Situação "melhorou significativamente" no Alvão

O presidente da Câmara de Vila Real disse hoje que a situação "melhorou significativamente" no incêndio da serra do Alvão mas ressalvou que os meios vão continuar espalhados pelo terreno para evitar reacendimentos.


"As condições melhoraram significativamente, mas ainda temos uma frente ativa e à medida que o dia vai avançando as temperaturas vão aumentando", declarou Rui Santos aos jornalistas.

O autarca afirmou ter receio de que possam ocorrer reacendimentos nas zonas por onde já passou o fogo e que as coisas se possam "complicar de um momento para o outro". O grande inimigo no combate a este incêndio, que deflagrou às 16:27 de quarta-feira, na zona de Paredes, tem sido o vento muito forte.

"Apelo a muita atenção por parte da população, quer para este incêndio em concreto, quer para outros focos de incêndio que possam surgir nos próximos dias, porque o nosso território tem muita área florestal e todos somos poucos para prevenir situações como a que aconteceu no dia de ontem [quarta-feira]", frisou.

Segundo a página da Internet da Proteção Civil, para este fogo estão mobilizados 370 operacionais, 110 viaturas e dois meios aéreos.

Rui Santos disse que ainda é cedo para fazer balanços da área ardida, mas adiantou que "um conjunto muito grande de floresta ardeu".

Na quarta-feira cinco bombeiros e um civil ficaram feridos ligeiramente devido a queimaduras, uma queda e inalação de fumo.

Já na manhã de hoje, segundo Rui Santos, um outro bombeiro ficou ferido devido a uma queda. O autarca disse ainda que o Presidente da República tem estado a acompanhar a situação de Vila Real.

Comentários