DR

Presidente de Vila Real quer mexer no mapa das freguesias

 O presidente da Câmara de Vila Real, reafirmou hoje uma resolução para a "nódoa urbanística" do inacabado hotel do parque e ainda uma reconfiguração do mapa das freguesias.


Rui Santos toma posse domingo para um segundo mandato, depois de ter feito "mais uma vez história" na capital de distrito. Em 2013, tornou-se no primeiro autarca eleito pelo PS em Vila Real e, nestas eleições, obteve o melhor resultado de sempre para um partido político neste concelho.

O PS conseguiu 20.236 votos (64,40%), obtendo sete mandatos, e o PSD alcançou 7.973 votos (25,38%) e dois mandatos.

"Este resultado significa que mais cidadãos aderiram ao nosso projeto, a este movimento, e significa também uma grande responsabilidade de honrar cada um dos votos que em nós foi depositado", afirmou. 

O autarca reafirmou o compromisso assumido para o concelho, durante a campanha eleitoral, assente em "cinco eixos fundamentais: o emprego, a partilha, a comunidade, o bem-estar e a felicidade".

"A felicidade será o resultado de todas estas ações e de uma boa gestão de todos os compromissos cumpridos. Se avançarmos no emprego, na partilha, comunidade e bem-estar teremos uma Vila Real mais feliz e esse sentimento imaterial é o nosso compromisso final", frisou.

Rui Santos referiu que a proposta eleitoral que chamou "Avançar mais" é o reforço da estratégia iniciada em 2013 e que "tem trazido bons frutos para Vila Real".

"Esses cinco eixos, como os cinco dedos de uma mão, trabalham juntos, dando força ao crescimento e desenvolvimento do município", salientou.

Entre os compromissos do PS para o novo mandato está a resolução da “nódoa urbanística” do inacabado hotel do parque, um problema que se arrasta há cerca de 30 anos.

"Vamos voltar a mexer no mapa das freguesias. Configurar de outra forma, em alguns casos reverter em outros casos reconfigurar o mapa. Vamos repensar esse mapa mas de acordo, obviamente, com a vontade das populações", adiantou.

E deu como exemplo o caso da União de Freguesias de Ermida e Nogueira, em que as ligações viárias entre as duas aldeias são difíceis e em que não há também ligação entre as pessoas.

O presidente socialista vai continuar a apostar nas corridas automóveis de nível mundial, construir uma nova zona industrial e um parque de estacionamento que sirva o centro histórico.

"Partilhar é também participar" e por isso quer um concelho "conectado com a população, onde todos estejam envolvidos na gestão", através, por exemplo, do orçamento participativo com uma dotação de 100 mil euros.

O autarca disse que vai ainda avançar com a construção de umas novas piscinas municipais, a reabilitação da Escola de São Pedro e a construção de um cento escolar em Lordelo e do comando da PSP e continuar a ampliar a rede de saneamento básico, bem como.

Rui Santos elencou também a construção do Centro Distrital de Proteção Civil, alargar o programa "mais bombeiros" e o programa de apoio ao arrendamento para famílias carenciadas, bem como aumentar as dotações para os cartões municipais.

Segundo Rui Santos, depois da tomada de posse, a sua primeira iniciativa passará pelo reafirmar da confiança junto de todos os funcionários do município.

"O sucesso do nosso trabalho depende muito da capacidade dos que trabalham connosco de executarem aquela que é a estratégia política para o concelho de Vila Real" sublinhou.

Comentários