DR

Investigação revela “debilidades” e “falhas” nos sites dos municípios na promoção do Douro

No âmbito do projeto DOUROTUR, Turismo e Inovação Tecnológica no Douro, coordenado por Xerardo Pereiro, docente e investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)


Os bolseiros Gonçalo Mota e Nieves Losada analisaram a imagem projetada pelos sites oficiais dos 19 municípios que constituem a sub-região do Douro (NUT III).
Esta investigação “pretendeu problematizar a imagem oficial projetada do destino turístico Douro, pela importância que esta tem na construção de uma marca identitária sólida do destino com a qual poderá competir a nível nacional e internacional”.

Os resultados obtidos pelo estudo revelaram “debilidades na promoção dos municípios através dos seus sites”, relacionadas com a “qualidade”, e com a orientação em relação ao mercado internacional “que é nula, uma vez que nenhum dos websites oferece informação fiável em outros idiomas além do português”.

Verificaram-se ainda “falhas” relacionadas com a “navegabilidade, aparência e estrutura destas presenças online”. Em termos de posicionamento dos destinos a investigação revelou que a maioria dos sites municipais oferece “informação sobre os seus recursos mas não sobre produtos turísticos concretos acessíveis ao consumo do potencial visitante”.

A investigação ressalta ainda que, em muitos casos, “é evidente o efeito nocivo da saturação informativa que a Internet possibilita, que neglicência a qualidade em prol da quantidade” e evidencia a “ausência de uma estratégia de marketing bem delineada na criação de imagens, discursos e narrativas que sejam capazes de atrair e seduzir visitantes e turistas”.

A análise dos websites foi efetuada em três fases através de técnica de análise mista, baseada na combinação de técnicas de análise qualitativa e quantitativa e distintas perspetivas teóricas como o marketing e a antropologia. 

Esta investigação é um dos primeiros outputs de uma das quatro linhas de investigação que compõem o projeto DOUROTUR, que envolve uma equipa multidisciplinar de 40 investigadores e 10 bolseiros. 

Comentários