Mensagem de quaresma para 2018

Caros Diocesanos! Irmãos e Irmãs, em Cristo! 


Está próxima a Quaresma. Preparemos a Páscoa da Ressurreição de Jesus que nos dá a vida. A Quaresma é o tempo da mudança e da aposta na verdade, na beleza e no bem. Na Mensagem Quaresmal, o Papa Francisco lembra o discurso escatológico: porque se multiplicará a iniquidade, resfriará o amor (Mt 24,12). A corrupção e o multiplicar do mal leva ao eclipse de Deus, ao esfriar do coração e à indiferença. Para evitar o apagão do amor, discernir o bem do mal, abraçar valores que nos dignificam e fugir dos falsos profetas, que trocam a verdade de Deus pela mentira e adoram as criaturas em vez do Criador (Rm 1,25). A idolatria da auto-complacência priva da dignidade, da liberdade, do amor e da alegria. Se desprezamos o Belo, a Verdade e o Bem, ficamos reféns do dinheiro, da droga, da auto-satisfação e do egoísmo céptico e cínico como o do ímpio que diz “comamos e bebamos que amanhã morreremos”.   

1. Para fugir ao esfriar do coração e alcançar a salvação e a felicidade, abraçar valores perenes e praticar a virtude, a oração, o jejum e a esmola, que ajudam, no caminho da perfeição. A oração leva a Deus e ao próximo, impede o auto-endeusamento, o engano e auto-consolação. O jejum desarma-nos, modera, alicerça, em Deus e no essencial. A esmola livra da idolatria e ganância, abraça o outro como uma mais-valia e acende, em nós, o amor divino inextinguível. A Quaresma é o tempo de misericórdia, da abertura, do perdão e da mudança, de acender o Lume Novo, o fogo da Páscoa de Deus e de Cristo e de atiçar aquela fome insaciável de verdade, beleza e bem, que interiormente nos devora e dá alegria e sentido à nossa vida sobre a terra.

2. O Papa pede 24 horas seguidas para o Senhor, no dia 9 e 10 de março e ao menos uma Igreja aberta, na Diocese, para adoração e confissão sacramental. A Catedral e as outras igrejas garantam sempre a Adoração Eucarística e a Confissão aos Fiéis. 

– Nem todos devem comungar Jesus Sacramentado, mas devem amá-lo, adorá-lo e desejar recebê-lo, no coração, fazendo a Comunhão Espiritual, junto do Sacrário. 

– Exorto os Padres e os Fiéis à celebração piedosa, atenta e participativa da Eucaristia e à Adoração. Desafio pais, crianças e jovens a manifestar, junto do Sacrário, o seu amor e fidelidade a Cristo. Peço aos Pastores que dêem o exemplo de piedade eucarística.

– Peço aos divorciados que adorem o Santíssimo Sacramento e aos sacerdotes que os guiem, acolham e ajudem, com o amor de Deus e a esperança e todos louvem, adorem e digam louvado, adorado e desagravado o Santíssimo Sacramento da Eucaristia, fruto do ventre sagrado da Virgem puríssima Santa Maria!

3. Os pastores expliquem a vocação baptismal, a fé e o amor a Cristo e preparem os fiéis, para o matrimónio, para o Sacerdócio Ordenado e para a Vida Consagrada. Há que encontrar Deus, na Palavra, no Sacramento e no Irmão, apostando na Catequese da Família, nos Jovens e Pastoral das Vocações, respeitando as minorias e os Pobres. Aponto duas necessidades de formação e pastoral caritativa, para as quais a Diocese canalizará, em partes iguais, a Renúncia Voluntária dos Fiéis, durante este ano:

a) – Para as Conferências de S. Vicente de Paulo, a favor da Miséria Envergonhada e dos pobres, vítimas de calamidades e abandono, necessitados de carinho e ajuda;

b) – Para Bolsas de Estudo, a favor de seminaristas pobres, que não podem pagar os estudos e desejam ser sacerdotes e servir a Igreja, no Ministério Ordenado.

Não amemos só com a língua e palavras, mas com obras e verdade (1 Jo. 3,18). Jesus ordena: “a messe é grande e os operários são poucos, pedi ao Senhor da messe que mande operários para a sua seara”. Os jovens respondem ao apelo de Deus, com a ajuda da Igreja, que cresce com o anúncio do Evangelho, a santificação, a adoração e o exercício das boas obras de caridade.

Apelo aos párocos, paróquias e comunidades cristãs, para ajudarem na restauração da Capela-Mor da Igreja Matriz da Paróquia de S. Pedro do Covelo do Gerês, consumida por um incêndio, em novembro passado, ficando só ileso o Sacrário. 

Que Deus Vos dê a paz e a alegria e Vos recompense e confirme na fé e na prática das boas obras de misericórdia, para obterdes a glória eterna. Com votos de Santa e Feliz Páscoa da Ressurreição, imploro de Deus, para Vós, a Sua bênção. Amen. 

Vila Real, Festa da Apresentação de Jesus no Templo, 2 de fevereiro de 2018

Comentários