DR

Trânsito normalizado no Túnel do Marão depois de incêndio

A circulação rodoviária está normalizada desde as 13:00 no Túnel do Marão depois de um condicionamento provocado por um incêndio num automóvel na galeria sul, no sentido Amarante–Vila Real, indicou a Infraestruturas de Portugal (IP).


O alerta para o incidente foi dado às 11:52. O trânsito chegou a estar cortado nos dois sentidos, para facilitar as operações de socorro e a passagem dos meios através da galeria norte (Vila Real–Amarante).

Orlando Matos, comandante da corporação da Cruz Branca, em Vila Real, disse à agência Lusa que os bombeiros que chegaram ao local ajudaram na consolidação combate ao fogo, já que a primeira intervenção foi feita pelo proprietário do automóvel, que recorreu a um extintor, e também pelo operador da equipa móvel afeta à infraestrutura.

Para o local foram também mobilizados os bombeiros de Amarante e a GNR.

O trânsito foi cortado na galeria norte e os carros acumularam-se na Autoestrada 4 (A4), ocupando as faixas de rodagem e impedindo a passagem das viaturas de socorro, que acabaram por aceder à boca do túnel por uma entrada lateral e passaram, depois, para a galeria sul por uma passagem de emergência.

Orlando Matos lamentou alguma falta de civismo por parte dos automobilistas que não deixaram nenhuma faixa livre para a passagem dos veículos de socorro.

O automóvel ardeu cerca de um quilómetro depois da entrada na infraestrutura.

O protocolo de Emergência Interno foi ativado e o incêndio foi dado como extinto pelas 12:15.

Este é já o terceiro incidente do género que ocorre dentro do túnel de 5.665 metros, inserido na Autoestrada 4 (A4).

A 11 de junho ardeu autocarro e, dois meses depois, ardeu também um carro ligeiro dentro do túnel. Nos dois casos não se registaram vítimas, contudo, a infraestrutura ficou fechada ao trânsito por diferentes períodos de tempo.

Na sequência do primeiro incidente, o secretário de Estado da Proteção Civil ordenou a realização de um inquérito pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e as conclusões apontam para uma revisão dos procedimentos para agilizar a chegada dos meios.

O Governo pediu uma revisão “com urgência” e até “31 de março” dos plano de Emergência Interno do e de Intervenção no Túnel do Marão, ainda a elaboração de um Plano de Prevenção, e a posterior realização de um simulacro de incêndio.

 

Comentários