EM 2017

Violência Doméstica

Casos mortais

O ano de 2017 foi terrível, em termos de violência doméstica, no concernente a casais em que se registou a morte de um ou dos dois cônjuges (neste caso, homicídio seguido de suicídio). Cronologicamente, as dezasseis situações verificadas ocorreram em janeiro (2), fevereiro (1), março (4), maio (2), junho (1), julho (1), novembro (4) e dezembro (1), em outras tantas localidades. As razões incidiram em ciúmes, divórcios, termo de relações, heranças, desentendimentos conjugais, partilhas, descontrolos emocionais, anomalias psicológicas, problemas financeiros, alcoolismo, doenças terminais, depressões, vinganças e até, em dois casos, assassinatos após discussão por motivos fúteis. Em alguns casos, verificou-se profanação de cadáveres (corpos escondidos ou enterrados) e em dois houve terceiros contratados para as execuções, a troco de dinheiro.


Estatisticas

 As vítimas mortais preencheram um leque etário entre os 33 (um homem  após agressão física à esposa) e os 59 anos de idade (uma mulher morta pelo marido, o qual tentou o suicídio). Quanto aos agressores, o mais novo foi um homem de 25 anos (matou o amante numa situação de homossexualidade e roubo) e o mais velho foi um homem de 80 anos (tentou

 

Se já é assinante faça aqui o seu login       ou       Clique aqui para ver OS EXCLUSIVOS da VTM

ASSINE AGORA A VOZ DE TRÁS OS MONTES

Acesso exclusivo e ilimitado
à edição digital
(site + e-paper)

Comentários