DR

Suspeitos de homicídio não falaram no início do julgamento

Os dois arguidos acusados de um crime de homicídio qualificado em Chaves recusaram-se hoje, no início do julgamento, a prestar declarações ao coletivo de juízes do Tribunal de Vila Real.


O Tribunal de Vila Real começou a julgar uma mulher, de 41 anos, suspeita de ter mandado matar o marido e o homem, de 26 anos, a quem alegadamente propôs o pagamento de 10 mil euros para cometer o crime.

Os dois arguidos estão acusados pelo Ministério Público (MP) do crime de homicídio qualificado, sendo que o suspeito está ainda indiciado pelo crime de detenção de arma proibida.

Na primeira sessão do julgamento, os dois arguidos optaram por prestar declarações.

O crime ocorreu em janeiro de 2017, na cidade de Chaves, e os suspeitos foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real em maio.

No dia 17 de janeiro de 2017, segundo o MP, o arguido dirigiu-se à residência da vítima, aguardou que saísse para se deslocar para o trabalho e disparou uma arma de caça, atingindo-o no pescoço e provocando-lhe a morte imediata.

De acordo com o MP, a quantia acordada entre os arguidos não foi entregue na totalidade, pois alegadamente a suspeita aguardava pelos prémios dos seguros.

O MP disse que, com a morte do marido, a arguida pretendia que o seguro de vida afeto à residência do casal liquidasse o valor desta ainda em dívida, ficando com o imóvel pago e, além disso, receber mais algum dinheiro de pelo menos dois outros seguros.

Comentários