Levi Leandro

SCVR: A GERINGONÇA – a ambição não tem limites…

Nem o Eng.º João Álvaro (JA) e Francisco Carvalho (FC) são António Costa ou Catarina Martins, mas como tinha escrito há mais de um mês no NVR (8/5), acharam por bem estabelecer pós “ato eleitoral”, para mim simulacro eleitoral, uma coligação. 


Ora esta situação pode merecer os mais variados comentários sobre estes dois candidatos, senão vejamos, esta aparente geringonça funcionará como a que existe ou às primeiras curvas começará a deixar as peças pelo caminho, acabando na sucata.

O signatário não reconhece por vários motivos, “o pseudo ato eleitoral de 25/5”, mas basta invocar que estamos num Estado de direito, onde existem as mais elementares regras democráticas para o funcionamento das instituições.

Como sabem João Álvaro integrou no ano passado a lista de (FC) e poucos meses depois, apesar de integrar o grupo mais próximo de (FC), comunicou ao mesmo a sua saída para a direção presidida por Artur Ribeiro. Uns classificaram de normal outros de traição, mas traição não foi, pois ela só existe quando há lealdade e não oportunismo.

Não é normal que um candidato que “perde por dez votos” e que afirme uns dias mais tarde que apesar de tudo pode ir “novamente” e verdadeiramente a eleições, venha quase no fim da semana anterior, informar os sócios do SCVR e o seu eleitorado ($,?), que desiste. Contudo estabeleceu um consenso com a lista de FC, mantendo a porta entreaberta com a lista de Rui Florindo, não fosse o diabo tecê-las... A isto pode-se chamar um consenso, ou ambição desmedida da forma mais serpenteada possível …

Quanto a (FC), é óbvio que não fiquei admirado com este “casamento”, não tenciono, a não ser que seja necessário, invocar conversa antigas sobre este assunto, mas não tendo formação política como o seu “amigo” (JA), ambos se podem enquadrar, mais o segundo que o primeiro, naquele tipo de políticos que afirmam uma coisa e pensam precisamente outra… 

Hoje proferir inverdades começa a tornar-se mais usual do que falar verdade, quando há candidatos que arranjam esquemas concertados (envolvendo alegadamente dinheiro por cada sócio efetuado) para fazerem sócios, quando há candidatos que afirmam que “fizeram sócios à molhada de várias localidades do distrito” porque o outro também fez…, quando outro provavelmente para minorar o trabalho da menina simpática que está na secretaria do Clube, faz quase uma centena de sócios e depois vêm para a comunicação social parecendo três virgens ofendidas na sua integridade, não tendo um pingo de vergonha nos atos praticados e ainda por cima e com o maior descaramento, falam em transparência e seriedade e nos superiores interesses do SCVR… Começam bem… Espero que saibam acabar melhor…

Presumo, pelo que conheço de (FC) e agora com ajuda de (JA), irão fazer os possíveis e impossíveis para que lhes seja dada posse de um ato que legalmente não existiu, mas se por completo absurdo isto acontecesse, sabemos que quem começava a conduzir a geringonça seria (FC), mas provavelmente quem chegaria ao final da viagem seria o Eng.º João Álvaro que o apearia à primeira oportunidade que tivesse, mas isto são os riscos dos consensos sem SENSO...

Comentários