DR

Ascenso Simões pede especial atenção para o projeto de requalificação da linha do Douro

Ascenso Simões, deputado socialista eleito por Vila Real, abordou o tema da requalificação da linha do Douro na Comissão de Economia, em especial a não integração no grande programa de investimentos. 


Sobre esta matéria, o político afirma não estar em condições de exigir ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que inclua a linha ferroviária nesse programa, dado que “nenhum português compreenderia que o mesmo integrasse o grande programa de investimentos, de 400 milhões de euros, para bater numa parede”. 

Aproveitou ainda para realçar “que os investimentos que estão a ser feitos atualmente na linha do Douro, de requalificação e litificação, são muito importantes para a sua valorização” em diversos universos, inclusive no turístico. 

Ascenso Simões referiu que os deputados do partido socialista do distrito de Vila Real defendem que o programa deve abranger três componentes, que incluam a “continuação das obras que já estão em desenvolvimento, a criação dos novos projetos e o seu desenvolvimento e a abertura para um novo tempo de outros projetos que o País também olha como vantajosos para o próprio desenvolvimento territorial”. 

É no âmbito da terceira medida que o deputado diz querer integrar e manter a linha ferroviária na perspetiva de ligação entre Portugal e Espanha. Como tal, a nível da consulta pública, o partido vai avançar com uma proposta para a integração desse mesmo plano. “É para esse tempo que eu peço, ao Senhor Ministro, uma atenção especial para esse mesmo projeto”, concluiu. 

Recorde-se que a reabilitação da linha do Douro é um tema na ordem do dia. Foi há menos de um mês que a União Europeia divulgou um estudo que mostrava a relevância e o potencial da linha do Douro, entre o Pocinho – Barca d’Alva (Portugal) e Fregeneda – Salamanca (Espanha). 

Entre as 365 linhas ferroviárias estudadas, a União Europeia selecionou 48 projetos promissores, entre eles a linha do Douro, onde a sua reativação é vista com potencial. 

Há um outro estudo, realizado em 2016 pela  Infraestruturas de Portugal (IP), que também comprova o interesse e o potencial desta linha ferroviária.

Comentários