DR

Douro Rock aposta na música portuguesa

Está aí à porta a terceira edição do Douro Rock, um festival 100 por cento português que abrange o rock, pop, indie, soul e hip-hop e que pretende ser uma alternativa ao concorrido calendário de festivais de verão em Portugal.


Amanhã, sexta-feira, a música começa a ouvir-se com Kappa Jotta às 21h00, seguindo-se Frankie Chavez às 22h00, Samuel Úria às 23h00, e The Gift às 00h30. Sábado, a animação começa com Mishlawi às 21h00, a quem se seguem The Twist Connection às 22h00, The Legendary Tigerman às 23h00, e os Xutos & Pontapés a partir das 00h30.

Junto ao Rio Douro, com uma das paisagens mais bonitas do mundo como cenário, o festival situa-se junto às piscinas da Régua proporcionando uma experiência plena unindo a natureza, a música, a gastronomia e o vinho da região.

Tal como em 2016 e 2017, nesta terceira edição a premissa é a mesma: “um festival 100 por cento português onde as novas gerações da música se cruzam com nomes mais consagrados numa zona que é Património da Humanidade pela Unesco”.
Com campismo gratuito para os portadores de bilhete para o festival, e uma zona de alimentação com representantes de street food variada, o Douro Rock contará ainda com a presença de marcas de vinho da região numa mostra do melhor que o Douro tem para oferecer. 

Depois do sucesso da edição de 2017, que contou com 10 mil pessoas, é grande a curiosidade em torno do festival. Pelo palco passaram, então, os GNR, Blind Zero, Linda Martini, Capitão Fausto, You Can’t Win Charlie Brown, Marta Ren & The Groovelvets, Piruka e Bed Legs; e em 2016, Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, Richie Campbell, Mundo Segundo, Sam Alone, Serushio, Capitão Mocho, Ledderplain e Sons do Douro.

Os bilhetes para o festival já estão à venda em ticketline.pt e nos locais habituais, e custam 15€ (preço único para os dois dias).

Comentários