DR

Lia Melo designada solista da Orquestra Sinfónica Ensemble

Depois do facto inédito de uma vila-realense integrar uma grande Orquestra Internacional, como é a Orquestra de Jovens da União Europeia (European Union Youth Orchestra), ainda por cima sendo a mais nova e todos os participantes, a violetista Lia Melo continua a marcar pontos no mundo da música.


 Pelo segundo ano consecutivo, também algo singular nas Orquestras Nacionais, a nossa conterrânea conseguiu ser designada, como solista, para a Orquestra Sinfónica Ensemble.

Num ano intenso, a todos os níveis, esta aluna do Conservatório Regional de Música e Vila Real, após submeter-se a várias provas de seleção, conseguiu ser apurada para tocar com a Be Phil Berliner Philharmonie, viajando até Berlim, onde trabalhou com os reconhecidos maestros Sir Simon Rattle e Stanley Dodds, para Orquestra Estágio Gulbenkian - EGO 2018, onde tocaria sob a batuta da maestrina Joana Carneiro, não fora o caso de este estágio sobrepor-se ao Summer Tour da European Union Youth Orchestra, numa digressão por seis países da Europa, que durou 40 dias, onde a Lia Melo trabalhou com os brilhantes maestros Peter Stark, Manfred Honeck e Gianandrea Noseda, e levou o nome da cidade aos palcos e festivais mais emblemáticos da Europa. 

Este périplo iniciou-se na Áustria, com a participação no Festival de Grafenegg, realizado no Wolkenturm Auditorium, atuando depois na sua capital, no MuseumsQuartier Vienna e no Leopold Museum Vienna; rumando a Itália, para participar no Festival de Ferrara, realizado no seu belíssimo Teatro Comunale; seguindo-se o Europe Festival, atuando no Teatr Wielki, na capital Polaca, Varsóvia, nas comemorações do centenário da independência polaca; passando pelo Young Euro Classic Festival, que teve lugar no Konzerthaus de Berlim, na Alemanha, voltando a Itália, para atuar no Teatro Comunale Bolzano, na Spazio Klassik da Piazza Principale Caldero, e na Stresa Convention Centre (Stresa Festival); no Concertgebouw de Amsterdão e, para finalizar em pleno, com a participação nos BBC Proms 2018, com um inolvidável concerto no incomparável Royal Albert Hall.

Logo que findou este périplo por terras europeias, a Lia, na companhia da sua irmã gémea, a também violetista Eva Melo, dirigiu-se para sul, para terras algarvias, para participar em mais um estágio da Orquestra Sinfónica Ensemble.

De referir que, tal como em todas as grandes orquestras, o processo de seleção para a Orquestra Sinfónica Ensemble é exigente, tendo sido apurados oito dezenas de jovens músicos de um vasto grupo de várias centenas que se propuseram a fazer os rigorosos testes de seleção. Pela quarta vez, consecutiva, o Conservatório Regional de Música e Vila Real conseguiu ser, superiormente, representado através das nossas conterrâneas, as gémeas violetistas Lia e Eva Melo.

Contudo, o que é de realçar, é que Lia Melo foi, pela segunda vez, consecutiva, a Solista da Orquestra Sinfónica Ensemble. Após ter tocado, sob a batuta do maestro Cesário Costa, o Concerto para Clarinete, Viola e Orquestra, Op. 88, de Max Bruch, no ano passado, no final deste verão apresentou-se, em várias salas e palcos do sul do país, tocando o belíssimo Concerto para Viola, de Cecil Forsyth.

Comentários