JPB

370 mil euros para salvaguardar a olaria negra de Bisalhães

Passados precisamente dois anos desde que a Louça Preta de Bisalhães foi reconhecida pela UNESCO, integrando a lista de Património Cultural e Imaterial que Necessita de Salvaguarda Urgente.


O município de Vila Real encontra-se a desenvolver uma série de iniciativas para valorizar e promover esta arte, com um plano de 370 mil euros para ser desenvolvido até 2020. 

A notícia foi adiantada pelo presidente da autarquia, Rui Santos, no âmbito do I Encontro Nacional em torno da Louça Negra de Bisalhães, na passada quinta-feira. O autarca salientou que está a par das dificuldades e dos problemas da olaria negra, pelo que destacou a importância de implementar medidas que salvaguardem o processo de confeção do barro preto, atraindo mais pessoas para este tipo de arte. 

“Temos que transformar as artes tradicionais e etnográficas, mantendo os oleiros existentes a trabalhar, mas também melhorando as suas condições trabalho e atraindo mais jovens

 

Se já é assinante faça aqui o seu login       ou       Clique aqui para ver OS EXCLUSIVOS da VTM

ASSINE AGORA A VOZ DE TRÁS OS MONTES

Acesso exclusivo e ilimitado
à edição digital
(site + e-paper)

Comentários