UGT descentraliza para potenciar o território

De forma a contribuir para a descentralização e visando a valorização do território, por meio da formação e atração de investimentos empresariais, a União Geral de Trabalhadores (UGT) de Vila Real inaugurou a sua nova delegação em Chaves, no dia 28 de fevereiro.


À VTM, Nataniel Araújo, presidente da UGT-Vila Real, referiu tratar-se de “um dia muito feliz para a UGT”, pois “estamos a concretizar aquilo que prometemos quando nos candidatámos e a política de descentralização sindical está a acontecer e, hoje, estamos perante a prova viva e física de que  a UGT-Vila Real não se foca apenas na capital de distrito”. 

Com esta integração desta entidade sindical em território flaviense, a ambição passa por “suprimir algumas necessidades que o mercado apresenta no que diz respeito à formação profissional”, potenciando os agentes locais e dando-lhes competências para que sejam melhores nos serviços que desenvolverem”.

Para tal, o presidente descortinou a estratégia delineada, que passa por “ouvir o mercado, falar com os parceiros preferenciais na área dos serviços e colmatar as carências existentes ao nível da formação”, fazendo frente às necessidades que forem constatadas e vincando “a nossa presença para que sejamos úteis para o desenvolvimento do distrito e da nossa região”. “Esta é a nossa estratégia para 2019 e para os anos que se seguem”, rematou o presidente da União Geral de Trabalhadores de Vila Real.

A inauguração do novo espaço, situado no Centro Comercial Valadim, na Avenida Tenente Valadim, contou com a presença do secretário geral da UGT, Carlos Silva, que fez questão de salientar que a essência do movimento sindical é a defesa da proximidade com as populações e contribuir em prol do seu benefício. 

“Nós lutamos pelo interior do território e estamos presentes para discutir as grandes questões de empregabilidade, promover a ligação aos atores empresariais, formar e ajudar a formar melhor as pessoas”, referiu Carlos Silva, destacando que o contributo da entidade sindical na formação pessoal “ajudará a que as pessoas se fixem na sua terra e revela-se como uma mais-valia para a atratividade para aqueles que estão fora e querem voltar”, concluiu.

Em 2018 já foram lecionados dois Cursos de Educação e Formação para Adultos (EFA) para maiores de 23 anos, sendo: técnicas de restauração e bar e técnico auxiliar de saúde, prevendo-se novos cursos futuramente.

Além do secretário geral da UGT, Carlos Silva, a inauguração contou ainda com a presença do Delegado Regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), António Leite, e várias entidades ligadas à política local.

 

Declarações

 Nataniel Araújo, presidente da UGT-Vila Real

 “Estamos perante a prova viva e física de que a UGT-Vila Real não se foca apenas na capital de distrito”

 

 

 

 

 

Carlos Silva, secretário geral da UGT

 “Trás-os-Montes sempre teve um grande potencial humano, apenas faltou investimento”

Comentários