DR

Montalegre preparado para receber a Taça do Mundo de Supermoto

A maior competição mundial do ano de Supermoto disputa‑se no próximo fim de semana no circuito internacional barrosão


São esperados mais de três dezenas de pilotos oriundos de 13 países para a FIM Supermoto World Cup, a prova que atribuirá o título mundial da categoria-rainha do Supermoto, a S1, no Circuito Internacional de Montalegre.

David Teixeira, vice-presidente da Câmara de Montalegre, destacou a importância da organização destes eventos internacionais no município barrosão. “Temos um circuito com condições de topo e acredito que poderemos fazer com o Supermoto o mesmo trabalho que foi feito ao longo destes anos com o Ralicross”, disse, adiantando que  Montalegre é um município “com enormes potencialidades e estes eventos internacionais permitem projetar o concelho e a própria região do Alto Tâmega em Portugal e no estrangeiro, sobretudo na nossa vizinha Espanha”.

Parte fundamental na organização desportiva do evento é a Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), em conjunto com o Clube Automóvel de Vila Real (CAVR). Simão Nunes, presidente da Comissão de Supermoto da FMP, destacou “a qualidade do circuito de Montalegre, que não fica nada a dever às melhores pistas” de Supermoto do mundo. “O município fez um trabalho excecional na construção de uma versão para Supermoto, incluindo as alterações que solicitámos após o evento de teste, na Taça de Portugal de Supermoto, em junho”.

Jorge Almeida, o presidente do CAVR, também recordou a longa história do clube no motociclismo, inclusive nas provas do Tourist Trophy em Vila Real. Mas o Supermoto “é um novo desafio para os comissários e toda a equipa do CAVR, um desafio que vamos abraçar com o máximo empenho e profissionalismo”.

Portugal também estará representado na grelha da Taça do Mundo FIM, com pelo menos seis pilotos nacionais a ombrearem com a elite do Supermoto. Os pilotos Nuno Pinto e Ivo Grácio revelaram o orgulho por participarem no maior evento da modalidade em Portugal. “Claro que é muito especial ter a Taça do Mundo no meu país e na minha região”, afirmou Nuno Pinto, piloto de Chaves que já foi campeão de Supermoto em Portugal e Espanha. “Espero que esta prova também sirva para divulgar mais a modalidade em Portugal, pois este desporto é espetacular e tem muito potencial”.

TAÇA DO MUNDO 

A Taça do Mundo FIM atribui o título de Campeão do Mundo de Supermoto em 2019. A Federação Internacional também criou uma Júnior Cup, cujo título será disputado por pilotos até aos 23 anos.
A prova terá um máximo de 32 pilotos, sendo realizada uma fase de qualificação caso a lista de inscritos exceda esse número. Na fase final, são disputadas três mangas, uma no sábado e duas no domingo, com cerca de 20 minutos cada. Os 20 primeiros classificados de cada manga recebem pontos e quem acumular mais pontos vence a competição.

Estarão presentes oito equipas profissionais, incluindo a equipa de fábrica da italiana TM. Entre a lista de pilotos incluem-se vários nomes consagrados, como o francês Thomas Chareyre, pluricampeão do Mundo de Supermoto, campeão da Europa e campeão de França em 2018, o campeão alemão Markus Class, o italiano Elia Sammartin, campeão da Europa de Supermoto Lites, o francês Laurent Fath, vencedor do Supermoto das Nações em 2018, o brasileiro Pedro Rehn, campeão de Supermoto no Brasil ou o checo Petr Vorlicek, bicampeão da Europa de Supermoto e bicampeão da Alemanha.

Comentários