UCC Mateus

SAÚDE ENTRE LINHAS

Semana Mundial da Amamentação 2019

“Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação”, é o tema da Semana Mundial do Aleitamento Materno, em 2019, que se comemora em Portugal entre 30 de setembro e 6 de outubro.


Esta iniciativa tem como objetivo enfatizar a importância do envolvimento de todos os familiares próximos, e não apenas da mãe, para que seja possível o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e de forma complementar até aos dois anos ou mais. A investigação demonstra que as crianças que foram amamentadas têm menos probabilidade de desenvolver cancros como leucemia e o linfoma, têm tendência para ter uma visão melhor e dentes mais alinhados, menor probabilidade de serem obesos e terem diabetes tipo 1 ou tipo 2 em adultos. Além de alimentar, o leite materno tem uma enorme importância na proteção da criança, pois contem ingredientes vivos, incluindo células estaminais, glóbulos brancos e bactérias benéficas, componentes bioativos, como anticorpos, enzimas e hormonas, ajudando a combater infeções e a prevenir doenças. As crianças que são amamentadas durante os primeiros seis meses de vida têm menos probabilidade de ter diarreias, gastroenterite, constipações, gripes, otites e candidíase e síndrome de morte súbita. Há também uma relação entre o aleitamento materno exclusivo e a melhoria dos padrões de sono, o desenvolvimento do cérebro do bebé e também a nível comportamental. Para a mãe, as vantagens são a promoção da involução uterina, estando associada a diminuição do risco de cancro da mama e do ovário, diabetes tipo 2 e doença cardíaca, além de potenciar as competências maternas. Para o sucesso do aleitamento materno é necessário adotar uma abordagem inclusiva, que comtemple os pais, parceiros, famílias, locais de trabalho e comunidade. Quando os pais apoiam a amamentação e têm relações responsivas com os filhos, existe uma melhoria nas práticas da amamentação e nas relações parentais. É necessário que o país adote políticas favoráveis à família, pelo reforço das licenças de maternidade e paternidade para promover a responsabilidade partilhada, bem como pela criação de locais de trabalho “amigos da amamentação”, que disponibilizem tempo para a amamentação e espaços seguros, privados e higiénicos para a extração e armazenamento do leite materno. A amamentação é um dos melhores investimentos para salvar vidas e melhorar a saúde, o desenvolvimento social e económico dos indivíduos e dos países.

Comentários