DR

Município com 20 milhões de euros para 2020

O Plano e Orçamento do município de Torre de Moncorvo para 2020 terá uma verba de cerca de 20 milhões de euros e foi aprovado em reunião de executivo.


“O orçamento para 2020 tem mais meio milhão de euros face a 2019. O grande objetivo é finalizar e iniciar obras que foram candidatas e aprovadas com fundos comunitários,” afirmou à Lusa, Nuno Gonçalves.

O autarca destaca, como exemplo, a requalificação da Escola Secundária Dr. Ramiro Salgado, que tem uma dotação orçamental de três milhões de euros, e garantiu também a conclusão das obras municipais candidatadas ao POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos durante 2020.

“Para concluir este projeto, falta apenas terminar a construção de duas novas Estações de Tratamento de Águas Residuais no concelho. Por outro lado, haverá ainda a aposta na eficiência energética nos edifícios municipais”, indicou Nuno Gonçalves.

No que toca às funções sociais do município todas serão dotadas “de uma quantia significativa deste orçamento, com incidência na criação de habitação social”.

“Vamos adquirir imóveis degradados e transformá-los em casas de arredamento acessível, para os mais carenciados”, explicou o presidente do município.

O transporte gratuito para doentes oncológicos continuará a ser uma aposta da autarquia, independentemente dos rendimentos de cada família do concelho. Ainda na área da saúde, há a comparticipação a 100% dos medicamentos por parte da autarquia.

A reabilitação urbana, a educação e a saúde são os principais pilares do Plano e Orçamento do município de Torre de Moncorvo para 2020, segundo Nuno Gonçalves. Contudo, o município do distrito de Bragança vai apostar, igualmente, num plano “para ajudar a fazer frente às alterações climáticas”.

O Plano e Orçamento foi aprovado na reunião do executivo municipal no dia 30 outubro, com três votos a favor da gestão do PSD, um voto contra de uma vereadora da oposição do PS a que se juntou uma abstenção de um outro elemento socialista.

Sobre este Plano e Orçamento, Maria de Lurdes Pontes, vereadora eleita nas listas do Partido Socialista (PS), afirma que apesar de “muitas festas e muitos milhares de euros gastos, os mais desfavorecidos vivem cada vez pior no concelho”.

“Os jovens vão embora, não há captação de investimentos, não há uma visão de desenvolvimento para um futuro próximo”, indicou a vereadora socialista.

Maria de Lurdes Pontes frisou que o seu sentido de voto “só poderia ser contra”, uma vez que “ano após ano assistimos a uma extrapolação da receita num orçamento pouco transparente, que reflete um total desconhecimento das necessidades do concelho de Torre de Moncorvo, mascarado de conversa demagógica de quem não tem uma estratégia delineada para o concelho”.

A VTM tentou contactar Nuno Gonçalves para obter uma reação às críticas da vereadora do PS, mas não foi possível até ao fecho desta edição. 

O Plano e Orçamento vai ser discutido e votado na Assembleia Municipal no final do mês de dezembro.

Comentários