DR

Incêndio destrói posto da GNR de Mesão Frio

Um incêndio deflagrou hoje de madrugada na zona das camaratas do posto da GNR de Mesão Frio, em Vila Real, deixando o edifício inutilizado, segundo fontes desta força policial e dos bombeiros.


O major Eduardo Lima, relações públicas do comando territorial de Vila Real da GNR, disse à agência Lusa que o incêndio deixou o posto de Mesão Frio “inutilizado” e que, entretanto, já foi encontrada uma solução para a instalação provisória dos militares, em espaço cedido pela Câmara Municipal.

A prioridade foi, referiu, garantir o policiamento e o atendimento à população de Mesão Frio.

Neste espaço serão colocados ainda hoje os meios necessários para os guardas trabalharem.

Este posto da GNR possui um efetivo de 20 militares.

O alerta para o incêndio foi dado pelas 04:30 e para o local foram mobilizados 20 bombeiros, que contaram com o apoio de seis viaturas.

Trata-se de um edifício de rés-do-chão e primeiro andar, localizado no centro da vila de Mesão Frio, e, segundo a fonte, o fogo terá começado no primeiro andar, na zona das camaratas.

O comandante dos bombeiros de Mesão Frio, Paulo Silva, disse à Lusa que os operacionais se depararam com “uma situação muito complicada” devido ao rebentamento de munições e que, por isso, o combate ao incêndio só se efetuou após se verificarem as condições de segurança.

Eduardo Lima referiu que "não foi afetada" a arrecadação do armamento e munições, acrescentando que o que se suspeita é que uma arma de um dos militares que estava de serviço se encontrava no local afetado pelo fogo.

O oficial adiantou ainda que vai ser agora investigada a origem do incêndio, que poderá estar relacionada com uma lareira existente no primeiro andar.

Paulo Silva referiu que a parte superior do edifício “ardeu toda”, deixando o “posto da GNR inutilizado”.

Pelas 09:00, os bombeiros continuavam no local em operações de rescaldo.

Comentários